Quem gosta de sair em busca do bronze e da brisa em praias paradisíacos deve incluir o Algarve na lista de lugares a visitar. Por algum motivo que desconheço, essa região de Portugal (ainda!) não costuma fazer parte do roteiro dos brasileiros que se aventuram pelo país. Mas deveria… e como!

Os panoramas mais emblemáticos do Algarve se diferem bastante do que avistamos no litoral do Brasil. Muitas praias aqui são apenas faixas de areia estreitas, em meio a falésias e formações rochosas que adentram o mar. Para chegar a muitas delas, uma imensa escadaria é a única forma de acesso. E, mesmo nas mais famosas, pouca ou nenhuma infraestrutura, em termos de quiosques e bares, é bastante habitual.

Por sorte, viajar pelo Algarve não é tão caro quando comparado com outros destinos litorâneos da Europa. Para facilitar ainda mais, existem estradas em boas condições e uma efetiva rede de transportes. De um extremo da região ao outro são apenas 150 km, ou seja, você pode parar inúmeras vezes e, ainda assim, conhecer meia dúzia de cidades e dezenas de praias.

Para ajudar você a organizar sua viagem para o Algarve, separei algumas informações práticas sobre a região, bem como sugestões de cidades a visitar e das praias que considero imperdíveis. É hora de incluir o traje de banho na mala e de se aventurar rumo ao Algarve, uma das regiões mais incríveis de Portugal!

 

 

Onde fica o Algarve, em Portugal?

O Algarve é a região administrativa mais ao sul de Portugal, e também a mais turística, tanto que o seu slogan oficial é “o segredo mais famoso da Europa”. Brasileiros podem não estar tão familiarizados com a região, mas os europeus, em especial os ingleses e os alemães, há tempos já descobriram o encanto dos 16 concelhos (espécie de municípios) e das espetaculares praias do extremo sul de Portugal.

 

Qual a melhor época para ir?

Já que o grande atrativo nessa porção de Portugal são as praias, o verão é sem dúvidas a melhor época para ir ao Algarve. Entre os meses de junho e setembro, o sol prevalece e a temperatura gira em torno dos 30ºC. Consequentemente, é também o período em que as pequenas cidades ficam mais cheias. Tudo em paz, já que não é nada semelhante à multidão das praias brasileiras.

Se você viaja a Portugal em outras estações, pode incluir o Algarve no roteiro se não se importar em ver as praias apenas a partir de seus mirantes, sem muitas chances de tomar banho de mar. Boa parte das cidadezinhas abriga construções históricas e pode render passeios culturais. Mesmo no inverno, o termômetro oscila entre 15º e 18ºC, frio perfeitamente suportável.

 

Quantos dias ficar?

Não existe tempo máximo indicado para permanecer no Algarve, tudo depende de quantos dias você leva para enjoar da dupla sol & mar (se é que isso é possível!). Eu diria que o tempo mínimo são três dias completos — sem contar dia de chegada e retorno —, período no qual é possível conhecer algumas das praias mais famosas e ter um vislumbre da geografia única da região.

Qualquer tempo a mais servirá para explorar outros lugares de incrível beleza natural ou para regressar aos seus pontos preferidos. A estadia ideal é de sete a dez dias (confira a seguir uma sugestão de retorno).

 

Como chegar ao Algarve?

É possível chegar ao Algarve utilizando praticamente qualquer meio de transporte, porém o que de fato influencia nessa escolha é a duração da viagem, o ponto de partida e de chegada. Como esperado, uma vez na região, o modo mais prático de circular é de carro. Você monta base em duas ou mais cidades e explora o entorno com perfeita autonomia. Alugar carro em Portugal é barato, então vale a pena considerar essa alternativa.

De avião

Quem vem de outras cidades da Europa deve voar para Faro, capital do Algarve e única cidade da região com aeroporto internacional; quem vem diretamente do Brasil, deve antes fazer uma conexão em Lisboa.

Se o preço das passagens aéreas até lá não estiver muito atrativo, considere voar até Lisboa e, de lá, seguir de outra maneira rumo ao Algarve (e não necessariamente a Faro).

De trem

Todos os principais destinos litorâneos do Algarve são atendidos pela Comboios de Portugal (CP), estatal que opera toda a malha ferroviária do país. Os trens podem ser de dois tipos: alfa-pendular (mais rápido) e intercidade (mais lento e também mais barato).

Em alguns casos, a estação de trem não está próxima ao centro turístico; verifique o local no mapa antes.

De ônibus

É possível chegar também a todos os principais destinos litorâneos do Algarve a bordo de ônibus. Três empresas (Rede Expressos, Renex e EVA) conectam as cidades a partir da capital e entre si.

Muitos desses ônibus são intermunicipais e param em cada vilarejo, o que poderá tornar o percurso mais demorado; o AlgarveBus ajuda a encontrar linhas e horários.

 

Principais cidades da região do Algarve, em Portugal

A ideia de viajar por uma região inteira de um país pode causar certa confusão no início do planejamento. Familiarizar-se com nome, localização e atrações de cada lugar é bem trabalhoso. Para facilitar, elenco a seguir as principais cidades do Algarve em termos turísticos. Num roteiro de viagem ideal, de 10 dias, incluiria todas elas.

Lagos

Se a sua viagem ao Algarve não puder ser por mais do que três dias, escolha apenas um destino: Lagos. s praias dessa cidade de 30 mil habitantes formam o conjunto mais perfeitinho da região. Primeiro porque existem pelo menos oito praias a ser visitadas. Segundo porque as quatro mais belas, que oferecem o típico visual de falésia + pequena faixa de areia + mar azul esverdeado, estão lado a lado e podem ser percorridas a pé.

De uma ponta a outra, entre a Praia da Batata e a Praia do Camilo, são apenas 2 km. E, no meio desse percurso, estão ainda a Praia do Pinhão e a Praia Dona Ana. Seguindo adiante depois dessa última, chega-se à Ponta da Piedade, com o seu conjunto de incríveis formações rochosas cuja imponência pode ser comprovada ao integrar um passeio de barco e vê-las debaixo.

Lagoa

Os nomes são parecidos e a distância é curta, mas Lagoa já é outro município (ou melhor, concelho) do Algarve. A cidade de 22 mil habitantes abriga quatro freguesias (algo similar a um distrito na nossa divisão política), sendo Lagoa e Carvoeiro a mais conhecida delas. É nesse pedacinho em específico que se escondem as praias e formações rochosas mais incríveis.

A mais singular é a Praia de Benagil, por causa do indescritível Algar de Benagil, uma gruta que pode ser visitada em passeios de barco ou de caiaque. Em Lagoa, visite ainda pelo menos outras três praias: Praia da Marinha e Praia do Carvalho, ambas dignas de estar no seleto grupo das mais bonitas, e Praia do Carvoeiro, cujo casario branco no alto do penhasco lembra as paisagens da Grécia.

Albufeira

A origem dessa cidade remonta ao tempo de domínio mouro: o nome Al-buhera significa castelo do mar. Ao longo da história, Albufeira passou por períodos de ascensão e de declínio. Hoje, com 40 mil habitantes, é considerado o balneário mais turístico do Algarve e o de vida noturna mais intensa.

Por ser a maior cidade do Algarve em termos de extensão litorânea, Albufeira é também a que abriga a maior quantidade de praias – e de todos os tipo de paisagem, mar e forma de acesso possível. Tem desde a deserta Praia dos Salgados, bastante vasta e com mar agitado, até a badalada Praia São Rafael, marcada pelo mar calmo e pelas falésias. Mas é ainda outra, a Praia das Falésias, a considerada mais bonita.

Faro

Há quem utilize Faro meramente como porta de entrada, visto que a capital do Algarve é a única com aeroporto internacional. De fato, a cidade de 65 mil habitantes não tem praias de beleza ímpar como as vizinhas. Em compensação, abriga um centro histórico de respeito, chamado de Cidade Velha, e a Ria Formosa, uma importantíssima área natural, que pode ser conhecida em passeios de barco.

 

Melhores praias do Algarve

Dentre a infinidade de praias existentes, é difícil eleger apenas algumas que poderiam ser consideradas as melhores. A região conta com praias “normais”, isto é, de mar aberto e extensa faixa de areia. Porém, as cinco praias aqui escolhidas são aquelas que, por diferentes razões, ganharam projeção internacional. O que todas têm em comum é o típico cenário algarvio: falésias a emoldurar o cenário e mar de diferentes tons.

Praia Dona Ana, Lagos

Alguns anos atrás, uma revista de viagem norte-americana escolheu Dona Ana como a praia mais bonita do mundo. Bastou o título para que todos começassem a prestar atenção no lugar. Na chegada, do mirante, já se tem a vista mais incrível da praia; descendo a longa escadaria de madeira, se vê de perto a larga enseada, o mar piscininha e as enormes rochas coloridas.

Gruta de Benagil, Lagoa

Esse é um daqueles lugares que faz jus à expressão “uma foto vale mais que mil palavras”. O Algar de Benagil é uma espécie de gruta encontrada nas proximidades da Praia de Benagil, que se diferencia de outras cavernas por estar no meio do mar e por ter um “buraco no teto”. A explicação não ajudou né? Tudo bem. É só ver imagens para entender a imponência do lugar e querer vir visitá-lo.

Praia da Marinha, Lagoa

Essa é mais uma praia que ganhou projeção mundo afora após ter sido incluída numa seleta lista das 100 praias mais bonitas do mundo. Como nos outros casos, devidamente merecido. Mesmo um título como esse não foi capaz de modificar a estrutura da Praia da Marinha – para nossa sorte, continua um tanto selvagem. O conjunto de falésias é dos mais belos, com destaque para o perfeito arco duplo rochoso, visto no mar.

Praia de São Rafael, Albufeira

Falésias de diferentes cores e formatos se destacam na paisagem da Praia de São Rafael, outra das pequenas e belas praias do Algarve resultante do milenar processo de erosão. Graças à facilidade de acesso, com direito a estacionamento nas proximidades e restaurante pé na areia, é a queridinha daqueles que viajam com crianças.

Praia da Falésia, Albufeira

O paredão rochoso, ora branco e ora diferentes tons de laranja, o onipresente verde da vegetação e os diferentes tons de azul e verde da água formam um contraste magnífico. A Praia da Falésia se diferencia das demais por sua extensão, 5 km de areia em linha reta. Para nossa sorte, o mar segue calmo e quase sem ondas. Faz jus ao título de 12ª melhor praia do mundo, segundo os próprios viajantes.

 

Roteiro de viagem pelo Algarve, em Portugal

Elaborei um esquema de roteiro de viagem pelo Algarve que considero ideal, contemplando a visita a todos os destinos citados. Para ter chance de conhecer tantas praias em tão pouco tempo, é melhor viajar de carro. Porém, esse roteiro também é viável para quem depende do transporte público.

De modo a otimizar o itinerário, programe as saídas de uma cidade para a seguinte de manhã cedo. Assim você consegue aproveitar a tarde para conhecer os atrativos e também as praias mais próximas do centro, reservando os dias completos para pontos de interesse mais distantes ou para os bate-voltas. Lembre-se que, no verão, o pôr do sol costuma acontecer depois das 20h.

Trâmites de check-in e check-out em 4 cidades em apenas 10 dias podem ser bem exaustivos, por isso, é uma boa ideia escolher duas ou três cidades, no máximo, para se hospedar e conhecer os arredores no esquema bate-volta. Acredito que o melhor, nesse caso, seria montar base em Lagos, Albufeira e/ou Faro.

Minha sugestão é começar a viagem por Faro, por ser a cidade mais fácil de chegar independente de onde você estiver vindo, e por não ter tantos atrativos naturais belos como as demais.

Afinal, em qualquer viagem, acho que é melhor sempre deixar o mais esperado para o final. Caso contrário, ao conhecermos de imediato o destino mais desejado, os demais parecem perder o impacto.

Dia 1: Chegada em Faro

Dia 2: Faro e arredores (bate-volta para Tavira)

Dia 3: Faro – Albufeira

Dia 4: Albufeira e arredores (bate-volta para Vilamoura)

Dia 5: Albufeira – Lagoa

Dia 6: Lagoa

Dia 7: Lagoa – Lagos

Dias 8 e 9: Lagos, praias e arredores (bate-volta para Sagres)

Dia 10: Partida de Lagos

 

 

 

 

E aí, que tal passar o próximo verão europeu nessas praias?