A Torre Eiffel é a representação mais emblemática de Paris e, claro, um de seus principais atrativos. Alguns até dizem que ir à cidade e não vê-la é o mesmo que não ir!

Bom, considerando seus 324m de altura, incluindo a sua antena, não é exatamente difícil avistá-la de diferentes pontos da cidade. Pra mim, o mais legal é quando você está andando por aí, desavisado e sem expectativas, e puft!, aparece a tal da Dama de Ferro.

Algumas vistas são mais impactantes, é claro. Separei as melhores vistas da Torre Eiffel para vocês conferirem os melhores ângulos em sua próxima viagem e fiz esse mapinha, com indicações de como chegar. Assim também é possível visualizar o caminho para o próximo atrativo e já montar o roteiro do dia.

 

 

 

A vista clássica – Champs de Mars

Se você jogar no Google, oito a cada dez fotos serão da vista frontal da torre a partir dos jardins do Champs de Mars, situado entre o monumento e a École Militaire.

Torre Eiffel

Esse campo, batizado em homenagem ao deus romano da guerra, não poderia ter um nome mais apropriado: todos os dias há uma batalha entre dezenas de pessoas disputando um cantinho para a foto.

Também, sendo ponto de parada de todas as excursões de ônibus, não poderia ser diferente. Para ângulos de fotografia fora do comum, você pode tentar enquadrar a Torre junto ao monumento Mur pour la Paix ou a partir dos jardins laterais em vez da alameda central.

Em dias de sol, é um lugar agradabilíssimo para um piquenique de queijos e vinhos franceses.

Como chegar: Metrô École Militaire (Linha 8)

 

A vista imponente – Place du Trocadéro

A suntuosidade da esplanada do Trocadéro é o complemento perfeito para a Torre Eiffel. A praça é ladeada pelos dois edifícios em formato de arco do Palais de Chaillot e ornada por estátuas douradas. Uma escadaria conduz aos Jardins do Trocadero e à Fonte de Varsóvia, com um espelho d’água e chafarizes.

Cedric Lange, CC BY-ND 2.0

 

No pôr do sol, lugares também são disputados a tapas. Vale visitar em horários alternativos, como as primeiras horas de manhã.

No caminho para a Torre, atravesse a Pont d’Iena e admire o carrossel antigo – à noite, suas luzes e as do monumento tornam esta vista ainda mais cativante.

Como chegar: Metrô Trocadéro (Linhas 6 e 9)

 

A vista inusitada – Ponte Bir-Hakeim

Pierre-Louis Ferrer, CC BY-NC-ND 2.0

É claro que em uma cidade como Paris, nos poucos momentos que o metrô não é subterrâneo, ele te presenteia uma vista deslumbrante. É o caso do itinerário da linha seis do metrô, que passa entre as estações de Passy e Bir-Hakeim. Um ângulo diferente e em movimento!

Você também pode cruzar a ponte a pé: embaixo dos trilhos metrô, há vias para pedestres, ciclistas e carros.

Curiosidade: Por essa ponte você encontra também o acesso para a Ìle aux Cygnes, uma ilha do Sena, onde se encontra uma pequena réplica da Estátua da Liberdade. A figura, projetada por Frédéric Auguste Bartholdi, discípulo de Gustave Eiffel, aponta em direção à sua irmã americana.

Como chegar: Metrô Bir-Hakeim (Linha 6)

 

 

 

A vista cotidiana – Ruas dos arredores

Parisienses dificilmente planejam sua chegada a esse endereço de acordo com a vista mais impactante. Esses caminhos podem parecer menos impressionantes, mas tem a sua própria singularidade.

Alex Donohue, CC BY-NC-ND 2.0

Na Rive Gauche, vindo a partir da Rue de l’Université, que começa lá em Saint-Germain, a Torre vai se revelar entre os edifícios de estilo parisiense. Além disso, no caminho você tem a possibilidade de passar pela belíssima Esplanada dos Inválidos e pela lateral do Museu do Quai Branly (Museu das Artes e Civilizações da África, Ásia, Oceania e Américas), que, aliás, também tem uma belíssima vista de seu terraço.

Como chegar: Metrô Alma-Marceau (Linha 9), mais próximo, ou Metrô Invalides (Linhas 8 e 13, RER C), mais distante

Do outro lado do Sena, a partir da Avenue du Président Wilson (anota aí, esse é o endereço do Palais de Tokyo, um museu de arte contemporânea entre os mais legais da cidade!), junto à escadaria da Rue de la Manutention, a Dama de Ferro parece nascer dos próprios prédios residenciais.

Como chegar: Metrô Invalides (Linhas 8 e 13, RER C)

 

A vista harmônica – Place de la Concorde

Não há quem passe pela Place de la Concorde e não perceba a perfeita harmonia entre o Obelisco de Luxor, os extravagantes postes de luz e a Torre Eiffel ao fundo, apesar de cada elemento arquitetônico ser de épocas distintas.

O obelisco, que têm mais de 3.300 anos, foi um presente concedido ao povo francês em 1829 pelo vice-rei do Egito, Mehmet Ali, em agradecimento à primeira tradução do hieróglifos pelo francês Jean-François Champollion. Somente em 1836 foi instalado na praça, diante de mais de 200 mil espectadores e da família real.

Bruno Monginoux, CC BY-NC-ND 2.0

A Torre Eiffel viria a ser construída mais de 50 anos depois e instalada do outro lado do rio. Mesmo não intencionalmente, conseguiram alinhar perfeitamente esses monumentos, criando uma das vistas mais bonitas de Paris.

Como chegar: Place de la Concorde (Linhas 1, 8 e 12)

 

A vista da outra torre – Tour Montparnasse

Existe uma piadinha que diz que a melhor vista de Paris é a que se tem da Torre Montparnasse, pois este é o único local onde ela não pode ser vista no horizonte. A verdade é que os parisienses não são muito fãs dessa construção de 56 andares, que destoa completamente do padrão arquitetônico da cidade.

A Torre Montparnasse oferece uma das melhores vistas da Torre Eiffel

Bruno Monginoux, CC BY-NC-ND 2.0

Mas uma coisa é certa: lá de cima, do seu observatório panorâmico, se tem uma das melhores vistas da cidade. A Torre Eiffel aparece imponente, em contraste com as modernas construções de La Défense ao fundo. O legal é ir no final da tarde para ver o pôr-do-sol e o acender das luzes da cidade.

Da nossa lista, esse é a única vista da Torre Eiffel paga. A entrada custa €18 (estudantes com carteirinha pagam €15). Mais informações aqui.

Como chegar: Gare Montparnasse (Linhas 4, 6, 12 e 13)

 

 

E aí, na sua opinião, qual é a melhor vista da Torre Eiffel?