Você com certeza já ouviu falar de alguém que fez uma super viagem utilizando apenas milhas, certo?! Essa possibilidade pode parecer inacessível à primeira vista, mas basta entender como esses programas funcionam para perceber que acumular e usar milhas aéreas é mais fácil do que se pensa.

Se você viaja com certa frequência ou ao menos tem interesse em viajar mais, eu recomendo dedicar um tempinho para aprender sobre esse universo das milhas. Acredite, é extremamente recompensador! Quem sabe assim não será você a voar pagando apenas a taxa de embarque num futuro próximo?

Organizei esse post em formato de perguntas e respostas para ajudar você a solucionar as dúvidas iniciais e já começar a colocar em prática a ideia de acumular milhas aéreas.

 

O que são milhas aéreas?

Milhas aéreas é o nome dado para os pontos acumulados nos programas de fidelidade das companhias aéreas. Aliás, essa é a palavra-chave do negócio: fidelidade. Ao adquirir passagens sempre na mesma companhia e ao comprar sempre com o mesmo cartão de crédito, você é beneficiado.

Esse benefício, traduzido em forma de pontos, nesse caso, de milhas, dá direito a passagens aéreas gratuitas e também a troca por produtos e serviços, a depender do programa de fidelidade e seus parceiros. Quando se trata de viagens, a lógica é bastante intuitiva: quanto mais milhas você tiver, mais longe poderá ir.

 

Como acumular milhas aéreas?

A forma mais simples e sem esforços de acumular milhas aéreas é… viajando de avião! As companhias normalmente vendem passagens em pelo menos três categorias de preço; quanto mais cara for, mais mais milhas são acumuladas.

A forma estratégica de acumular milhas aéreas é tornar-se leal a um programa de pontos e dar prioridade àquela companhia no momento de voar. Cada empresa tem um programa específico e você deve analisar as vantagens e desvantagens para decidir qual se adequa mais às suas necessidades.

A outra forma estratégica de acumular milhas aéreas é juntar-se ao programa de pontos do seu cartão de crédito. Normalmente, quanto mais high level seu cartão for, mais pontos você ganha por cada real desembolsado. Depois de certo número de pontos adquiridos, é possível convertê-los em milhas do programa de sua preferência.

A taxa de conversão varia de acordo com o banco e com o cartão de crédito, mas usualmente o cálculo é feito a partir de cada US$ 1 gasto. Um dólar pode equivaler a 1 ponto, 1,50, 2 pontos e por aí vai. É por isso que os mais entendidos passam qualquer valor no crédito.

Mais gastos = mais pontos = mais milhas!

Existe ainda a possibilidade de comprar produtos em sites de lojas parceiras e acumular mais pontos. Se numa conversão normal, a cada US$ 1 você ganharia 1 ponto, comprando em loja parceira você pode ganhar até 3 ou 4 pontos. Analisar os parceiros pode ser decisivo para escolher entre um ou outro programa.

O ideal é combinar todas essas estratégias para que o acúmulo seja mais efetivo, já que em todos os programas as milhas têm prazo de validade, variando de 2 a 4 anos. Perder milhas é perder dinheiro, então nada de marcar bobeira!

 

Quais são os principais programas de milhas aéreas?

Cada uma das quatro principais companhias aéreas brasileiras possui seu próprio programa de milhagem. Existem ainda programas de fidelidade que não estão vinculados às empresas de aviação, mas sim à alguma rede de banco. Costumam funcionar seguindo a mesma lógica de acúmulo e resgate, bem como de validade dos pontos.

Multiplus

O programa de fidelidade da LATAM tem parceria com sites conhecidos entre viajantes, como Booking, Airbnb e TripAdvisor. Aliás, a Multiplus tem a maior rede de parcerias dentre todos os programas. A LATAM é membro da aliança internacional OneWorld, formada por 13 empresas aéreas, e clientes Multiplus têm direito a resgatar as milhas em voos dessas companhias parceiras.

Tudo Azul

Eleito melhor programa de milhas do Brasil, o Tudo Azul, da Azul, opera em parceria com apenas três companhias aéreas. Em compensação, é parceira do site ViajaNet, que permite a emissão de passagens com milhas do Tudo Azul. Como em qualquer outro programa, é preciso ficar de olho para ver se compensa usar seus pontos naquele trecho.

Smiles

A premissa da Smiles, programa de fidelidade da GOL, é que o cliente acumule pontos em atividades corriqueiras do dia a dia. Assim, é possível ganhar pontos ao abastecer o carro e ao andar de Uber, por exemplo. Os cartões de crédito da Smiles podem ser boa alternativa para juntar mais pontos (atenção ao valor da anuidade). A GOL é parceira de outras 17 companhias, clientes Smiles podem viajar com milhas em todas elas.

 

Amigo

Talvez a maior vantagem da Avianca, responsável pelo programa Amigo, seja fazer parte da Star Alliance, a maior aliança de companhias aéreas do mundo. É possível acumular pontos em conhecidos sites de hospedagem e de aluguel de carro. Em comparação com outros programas, a Amigo tem um número consideravelmente menor de parcerias com bancos que permitem transferência dos pontos do cartão de crédito.

 


Gostou desse conteúdo?

Receba os textos de viagem do MundoMio na sua caixa de entrada!




 

Qual o melhor programa de milhas aéreas?

Resumidamente, posso afirmar que o melhor programa de milhas é aquele vinculado à companhia aérea que você utiliza mais. Será muito mais coerente concentrar esforços para juntar pontos em um programa só. Para isso, dê preferência sempre a essa companhia para voar. É a tal fidelidade, lembra?

No caso de não haver uma empresa com a qual você já voe com certa regularidade, convém analisar algumas vantagens, como os clubes (espécie de assinatura para acumular milhas), o tempo pelo qual as milhas são válidas e a quantidade mínima necessária para fazer resgates.

 

Qual o melhor cartão de crédito para acumular milhas aéreas?

Os melhores cartões de crédito para essa finalidade são aqueles com nomeações pomposas como master black, infinite, platinum e palavras do tipo. Normalmente cobram uma taxa de anuidade considerável e estão disponíveis apenas para correntistas de alta renda.

Se essa não for uma possibilidade, o melhor é se informar com o gerente de banco sobre os cartões de crédito disponíveis para seu nível de conta corrente. Outra alternativa é adquirir o cartão de crédito do programa de milhas, que funciona como um cartão normal, mas oferece conversões para milhas mais vantajosas.

Leve adiante essa ideia de acúmulo de pontos – especialmente aquela de pagar tudo no crédito –, somente se você for o tipo de pessoa que paga o valor integral da fatura em dia. Dado o valor exorbitante dos juros, em qualquer outra circunstância, a estratégia deixaria de fazer sentido.

 

Como trocar milhas aéreas por passagens de avião?

Você pode buscar pelo voo desejado, tanto no site da companhia aérea quanto no site do programa de fidelidade, e ver o “preço” da viagem em milhas. Caso não tenha o número de milhas integral para realizar a troca, é possível completar o valor em dinheiro.

É difícil calcular exatamente quantas milhas são necessárias por trecho, porque esse número varia de acordo com a data, o aeroporto de origem e o de destino. Mas para resgatar um bilhete de ida e volta para a Europa, saindo do Rio de Janeiro ou de São Paulo, você pode considerar algo entre 70 e 100 mil milhas.

O preço das passagens emitidas por milhas seguem a lógica da lei da oferta e da procura do mercado. Assim, voos entre destinos distantes ou em datas concorridas, como feriados e festas de final de ano, custarão mais milhas que o habitual.

 

Posso trocar milhas aéreas por outros produtos?

Se por qualquer motivo você não estiver interessado em voar, é possível sim aproveitar suas milhas de outra maneira. Cada programa de fidelidade oferece diferentes possibilidades de trocas, a depender das empresas parceiras.

O mais comum são serviços adicionais de viagem, como aluguel de carro, reserva de hospedagem, abastecimento em posto de gasolina ou crédito em corridas da Uber. Porém, também são ofertados ingressos de show, eletrodomésticos, perfumes, celulares, artigos esportivos e por aí vai.

 

Vale a pena comprar milhas aéreas?

Dependendo do caso, vale a pena sim comprar milhas. As próprias companhias aéreas fazem promoções e vendem determinada quantidade de milhas por um preço abaixo do que realmente valem. Para saber se é mesmo uma promoção vantajosa, é preciso já ter uma noção do custo-benefício de milhas x destino.

 

Para quem está focado em acumular milhas por um mesmo programa, convém assinar as newsletters e acompanhar as redes sociais. Às vezes, investir um valor mais alto de uma vez só poderá ajudá-lo a acumular o número de milhas necessárias para emitir a passagem daquela viagem desejada.

 

Vale a pena vender milhas aéreas?

Talvez você nunca tenha ouvido falar nessa possibilidade, mas, sim, existe e vale a pena. As empresas desse segmento que surgiram nos últimos anos, caso da MaxMilhas e da 123Milhas, compram as suas milhas e emitem passagens para terceiros.

Nesse processo, todo mundo sai ganhando. Você que lucrou ao vender suas milhas acumuladas, o passageiro que conseguiu uma passagem mais barata do que se tivesse comprado pela companhia, e o site, que cobrou uma pequena taxa e manteve o negócio rentável. É ou não uma sacada genial!?

 

E aí, você já participa de algum programa de fidelidade? Conta pra gente nos comentários!

 

Planeje sua viagem com o MundoMio
Reserve seu hotel
Garanta seu seguro viagem
Alugue um carro
Garanta seu ingresso para atrações