*Artigo atualizado em 14/05/2018

Quando voltei da minha última viagem a Barcelona, não pude esperar para escrever esse artigo, porque me surpreendi positivamente com a cidade em vários aspectos. Por isso, resolvi dividir esse guia super completo para você, que deseja fazer um bom planejamento antes de partir.

Eu tive apenas 4 dias inteiros no meu roteiro e confesso que o ritmo foi acelerado.

Sobre a cidade

Sendo a segunda maior cidade da Espanha e também uma das mais populosas da Europa, Barcelona é super cosmopolita e cheia de energia. O destino é a grande combinação para quem tem personalidade jovem e vontade de curtir praia, bons restaurantes e barzinhos. Culturalmente, é um lugar recheado de histórias e tradições, além das impressionantes obras-primas da arquitetura, como as do ilustre Antoni Gaudí.

Para completar, a temperatura é mais agradável em comparação a outros países europeus, o que nos daria a oportunidade de aproveitar mais ao ar livre e carregar menos bagagem com roupas de frio.

O que saber antes de viajar 

  • Barcelona está localizada na costa do Mar Mediterrâneo e é a segunda cidade mais populosa da Espanha;
  • É a capital da Catalunha (uma comunidade autônoma da Espanha, formada por 4 províncias: Barcelona, Girona, Lérida e Tarragona);
  • É a terceira cidade mais visitada da Europa;
  • O catalão e o espanhol são as línguas oficiais do país;
  • Onde residem nove patrimônios históricos da Unesco. Sete construídos por Gaudí, dentre eles:
    • A Sagrada Família
    • Casa Milà
    • Casa Batlló
    • Parque Güell
    • Palau Güell
    • Casa Vicens
    • Cripta da Igreja em Colonia Güell
  • Barça é o apelido dado ao time de futebol. A cidade é dada o de Barna;
  • Existem voos diretos de São Paulo para Barcelona pela LATAM e a Singapore;
  • É um ótimo destino para conhecer a pé ou bicicleta;
  • Para quem gosta de futebol, há jogos do FC Barcelona durante quase o ano todo. Porém, os bilhetes para assistir às partidas são caros (em média 80 euros);
  • A vida noturna é bem agitada e os melhores bares ficam nos bairros de El Born, The Old Town e o Porto Olímpico;
  • Não se vende bebida alcoólica na rua depois das 23h;
  • Comprar um chip de celular é a melhor forma de se manter conectado e usar Google Maps para se locomover. O chip custa apenas 20 euros para 7G de internet. Vale muito a pena!

Informações úteis

  • Moeda: Euro
  • DDI: +34
  • Eletricidade: 220 volts, 50 Hz
  • Plug de eletricidade: dois pontos

O que fazer em Barcelona

Monumentos 

La Sagrada Família

Sim, vamos começar com o mais procurado!

Além de super popular, este realmente foi um dos meus passeios favoritos.

A Sagrada família é uma igreja fabulosa, porém inacabada (teve sua construção iniciada em 1882). O seu interior foi completamente aberto ao público apenas em 2012. E a finalização da obra está prevista só para 2026, no centenário de morte de Antoni Gaudí, o responsável pelo desenho da igreja. É impressionante o número de detalhes, tanto na fachada quanto no interior.

Quando for concluída sua construção, ela se tornará a igreja mais alta do mundo. O que mais me chamou a atenção foi que a Sagrada Família é uma financiada apenas pela arrecadação de seus doadores e do turismo, o que faz com que a igreja católica não tenha controle nenhum sobre ela.

Para conhecer melhor, eu recomendaria fazer o tour guiado. Nós não achamos nenhuma opção de guia em português, por isso fizemos com uma guia inglês/espanhol. Com o tour guiado é possível prestar atenção em alguns detalhes específicos que facilmente passariam despercebidos aos leigos. Afinal, são tantos detalhes que dá para se perder.

  • Como chegar: De ônibus Hop-on Hop-off ou de metrô (Estação Sagrada Família)
  • Quanto tempo de visita: Tour guiado de 90 min. Passeio independente leva em torno de 1h a 2h. Se quiser apenas olhar por fora, leva em torno de 20 minutos e é de graça
  • Quanto custa: eu paguei 30 euros, sem o passeio até a torre
  • Dica: Compre o ingresso antecipado pela internet. As filas para comprar no local podem durar até 1 hora
  • Site oficial da Sagrada Família

Opções de ingresso:

La Pedrera (ou Casa Milà)

Não sei se quem já visitou este espaço teve a mesma sensação que eu, mas esse lugar é SENSACIONAL! Eu fiz a visita noturna com o show de luzes, e foi tão incrível que me fez duvidar se a beleza do local durante o dia é tão linda quanto à noite.

O Modernismo foi um movimento cultural Catalão que originou algumas obras maravilhosas em Barcelona. Na avenida Passeig de Gràcia há alguns desses prédios modernistas, incluindo a Casa Milà, que foi apelidada de La Pedrera, por causa do seu design. Por fora, ela é cheia de ondas e, por dentro, não se encontra uma linha reta sequer. Antigamente, muitos achavam o prédio uma aberração e, hoje, virou admiração entre moradores e turistas.

Antoni Gaudí – foi o responsável por desenhar essa obra de arte, baseando-se apenas em elementos da natureza. Gaudí afirmava que a natureza é um livro aberto que deveríamos apenas aprender a interpretar. Durante a visita guiada, tivemos um guia extremamente apaixonado pela história da Casa Milà e nosso passeio virou uma viagem no tempo. Terminamos o tour no terraço do último piso, onde é possível ter uma vista panorâmica da Passeig de Gràcia e também assistir a um show de luzes que conta a história do lugar através de imagens refletidas em suas estátuas…

Eu quase que não consegui acompanhar a história no show audiovisual pois meus olhos não sabiam para onde olhar, era muita beleza! Um luz alaranjada incrível no céu, uma brisa de verão e eu simplesmente me perdi naquele momento.

  • Como chegar: Ônibus Hop-on Hop-off,  Ônibus:  7,16,17, 22, 24 e V17 ou Metrô: Estação Diagonal
  • Quanto tempo de visita: Em torno de 1h30
  • Quanto custa: De dia são 22 euros e de noite, 34 euros. De dia e de noite: 41 euros (tem desconto para crianças e idosos)
  • Dica: o tour pode ser feito em inglês ou espanhol

Casa Batlló

Não muito distante da Casa Millà está a casa Batlló, no número 43 da Passeig de Gràcia. Esse edifício pertencia a Josep Batlló, que querendo se diferenciar da família, contratou o arquiteto Antoni Gaudí  para dar uma cara inovadora ao seu prédio. Primeiramente, ele queria demolir o edifício para reconstruir tudo novamente, mas Gaudí sugeriu apenas que eles reformassem a fachada e fizessem algumas mudanças internas. Apesar de parecer um pouco pequeno do lado de fora, esse é um prédio que chama a atenção! E diferente da Casa Milà, tem muito mais cores.

As visitas na parte interna da casa dão atenção aos detalhes usados por Gaudí eo processo de construção da obra, bem como as cores inspiradas na vida marinha.  Apenas alguns dos andares estão disponíveis para visitação ao público e, do lado de fora, é possível ver na parte de cima do telhado algo que se assemelha a um dragão. Gaudí não deixou explicações sobre a construção da Casa Batlló, o que gera diferentes interpretações até hoje. Esse edifício também está listado com um dos monumentos da UNESCO.

  • Como chegar: Metrô Passeig de Gràcia ( Linhas: L2, L3 e L4). Ônibus 7, 16, 17, 22, 24 e 28
  • Quanto tempo de visita:  entre 1h e 1h30, em média
  • Quanto custa: adultos pagam 21,50 euros; estudantes e idosos (+65) são 18,50 euros; gratuito para menores de 7 anos
  • Dica: Tem desconto de 3 euros pra quem compra o ingresso online
  • Horários: Fica aberto de segunda a domingo, das 9h às 21h, porém o último ingresso é vendido até 20h20

Parque Güell 

Apesar de um pouco distante dos outros passeios, o Parque Güell é um lugar muito bonito. Esse parque urbano ficou conhecido por ser projetado também por Gaudí e ter na sua arquitetura uma combinação de estilos: barroco, romano e dórico, entre outros. Os detalhes do parque reúnem uma mistura de cores e texturas e, da praça no topo do parque, é possível avistar o Mar Mediterrâneo.

O parque é composto por duas áreas diferentes: a zona monumental e a zona de acesso gratuito. O lagarto super famoso nas fotos pela internet (El.Drac) fica dentro da zona monumental e, por isso, você paga a taxa de 8 euros para vê-lo. No entanto, há uma multidão de pessoas que disputam pela selfie com o El.Drac. Boa sorte!

É possível também visitar a casa-museu, onde Gaudí residiu durante 20 anos e que ainda ver seus pertences.

  • Como chegar: É um pouco complicadinho, mas aqui estão umas dicas:
  • Metrô: Ir até a estacão Vallcarca ou Lesseps.
    – De Vallcarca (Linha 3) terá uma caminhada de 15 minutos. Caminhe em direção à entrada Passatge de Sant Josep de la Muntanya. No caminho terá uma escada rolante na Baixada de La Glória;
    – De Lesseps (Linha 3) também serão 15 minutos de caminhada, passando também pela escada rolante e seguindo até a entrada Passatge de Sant Josep de la Muntanya;
  • Ônibus que chegam mais perto: 24, 32, 92 e H6 ou ônibus turístico, além de  caminhada de aproximadamente 10 minutos.
  • Quanto tempo de passeio: cerca de 1h 
  • Quanto custa: 7 euros para compra online e 8 euros em locais de venda. O ticket não inclui a visita ao museu da casa de Gaudí. Crianças até 6 anos não pagam e, de 7 a 12 anos, pagam em torno de 5 euros.
  • Dicas: Compre com antecedência pela internet, pois há um número máximo de visitação por hora e você pode acabar não conseguindo ingresso.
  • As áreas-chave do parque possuem acesso para cadeira de rodas mas, com o desnível do terreno, algumas delas são de difícil acesso.

Teleférico de Montjuïc

O teleférico de Montjuïc é um passeio bem tranquilo e o trajeto bem rápido, o que encaixou perfeitamente no meu roteiro. Fiz o passeio no final da tarde, quase já sem fila. O teleférico sai da estação Parc di Montjuïc e vai até ao Castell de Montjuïc, no topo da colina. No meio do caminho há ainda uma estação intermediária, chamada de Miramar. Nela, não é possível descer durante o trajeto para o topo, apenas na volta — mas vale a pena porque a vista é bem bonita.

O visual durante o trajeto e do topo da montanha é magnífico. Na vista panorâmica da cidade notam-se vários dos momumentos famosos, como a Sagrada Família. Se você quer economizar, dá pra fazer o trajeto inteiro, ou parte dele, a pé ou de ônibus.

Como meu itinerário estava corrido, o passeio de teleférico foi rápido sem ser cansativo. Eu não tive tempo de ir ao Castelo, mas se você gosta de caminhada e de curtir a natureza, dá pra passar um dia inteiro explorando também o Parque de Montjuïc.

  • Como chegar: ir de metrô até a estação Paral-lel e depois seguir até o funicular de Montjuïc. Ao lado da estação fica a entrada do teleférico. Eu peguei um táxi da estação de metrô Paral-lel até o funicular, que custou 8 euros. Há também opção de ônibus 55 ou 150
  • Quanto tempo de visita: No mínimo 1h30
  • Quanto custa: Adultos ida e volta: 12,50 euros / só ida: 8,20 euros; Crianças de 7 a 12 anos: 9 euros / só ida: 6,50 euros

 Pontos gratuitos da cidade

Font Màgica

Um dos passeios mais populares é o show de luzes na font de Montjuïc. Para ter certeza sobre os horários dos espetáculos, vale consultar o site oficial, uma vez que a programação muda de acordo com a época do ano. no entanto, qualquer que seja a época do ano, o show ocorre sempre após o pôr do sol. O bom desse tipo de passeio é que além de lindo, ainda é gratuito e não tem horário para chegar ou para ir embora, assim dá pra encaixar entre uma programação e outra.

  • Endereço: Pl Carles Buïgas, 1- El Poble Sec (Sants-Montjuïc)
  • Como chegar: Estação Espanya ( Linha 1 e 3 do metrô)
  • Ônibus 55 e ônibus de turismo na parada MNAC

La Rambla

Este é a grande identificação com a cidade, pois é uma via que atravessa o centro de Barcelona.
Eu adorei caminhar pelo calçadão da La Rambla. É um lugar super arborizado, cheio de restaurantes, cafés, lojinhas de souvenirs e artistas de rua. É ótimo para quem quer dar uma pausa entre um passeio e outro. A La Rambla corta um caminho da Plaça da Catalunya até o Mirador de Colom. Ainda dá pra fazer uma pausa no La Boqueria para comer algo e continuar o passeio.

Por outro lado, lugares muito turísticos acabam tendo também alguns pontos negativos: altos preços, restaurantes cheios, falta de qualidade no atendimento e, infelizmente, um número de maior batedores de carteira. Não que eu tenha passado por algo do tipo, mas é sempre bom lembrar para ficar de olho nos seus pertences nessa área da cidade. Eu li muitos casos de furtos na internet.

  • Como chegar: Metrô até a estação Catalunya.

Mercat De La Boqueria

O mercado indoor mais antigo de Barcelona, inaugurado em 1840 possui centenas de bancas dos mais variados produtos: frutas, vinhos, carnes, queijos e chocolates. Como eu não tinha o endereço, quase que passei batido pela entrada do mercado quando estava andando pela La Rambla porque a fachada do mercado estava em reforma.

É um ótimo lugar para curtir uma refeição ou só um snack, porém não é permitido tocar nos alimentos antes de comprá-los! O preço não é dos melhores, mas é um experiência bacana. Algumas barraquinhas que servem comida não oferecem lugares onde sentar. Por isso, não compre algo que você não vai conseguir comer andando. Na parte externa do mercado, a limpeza deixa a desejar, mas, no geral é um bom passeio.

  • Como chegar: Metrô Liceu (Linha 3) + caminhada
  • Endereço :  Las Ramblas, 91.

Barri Gòtic (Bairro gótico)

Meu lugar favorito!!!

É o bairro gótico de Barcelona e creio que o modo mais divertido de conhecê-lo é se perdendo mesmo, explorando as ruas estreitas, os cafés e as lojinhas. É um lugar ótimo para quem gosta de história também, especialmente com o walking tour, no qual você anda pelo bairro com o guia explicando sobre a história do bairro gótico. Eu adoraria ter feito, mas não tive tempo no meu roteiro.

Para visitação existem alguns lugares como a Muralla Romana e a Catedral de la Santa Creu i Santa Eulàlia. A Catedral é super famosa e muito linda por dentro pelo que vi nas fotos, mas não pude visitar por estar usando shorts. Caso você queira visitar, lembre-se de estar com o corpo coberto e sem chapéu ou boné.

Há como entrar gratuitamente na catedral em alguns horários específicos pela manhã e à tarde. Para ter certeza, basta consultar no site deles aqui.

  • Como chegar: Existem várias estações de metrô ao redor do bairro gótico. Para a Catedral, a mais próxima é a Estação Jaume I do metrô (Linha 4)
  • Ônibus: 45, V15, V17

Praias

Praia de La Barceloneta

Passeio em cidade grande que dê pra incluir praia é uma maravilha! A Barceloneta é um lugar que agrada tanto quem gosta de mar, quanto quem gosta de curtir restaurantes e barzinhos na orla. Dá pra caminhar até a Vila Olímpica e voltar e, para quem não gosta de andar, tem a opção de pegar um Taxibike, ou alugar uma bike. E em dias em que o calor não seja tão intenso, dá pra curtir só uma caminhada com uma vista bonita.

Tem dois pontos na Barceloneta que achei bem interessante. Um deles era academia na praia, onde tem uma galera fitness que malha ao ar livre. E, em uma das pontas da praia, próximo ao grande Hotel W, tem uma área dedicada apenas ao nudismo, com pessoas de idade bem diversificada.

  • Como chegar: Estação de metrô Barceloneta ou Ciutadella (Linha 4)
  • Ônibus: 14, 16, 17, 36, 39, 40, 45, 51, 57, 59 e 64.

Praia Icària

Ao norte do Porto Olímpico, Icària é um pouco mais vazia que a Barceloneta. É igualmente bonita e conta com alguns serviços extras, como área esportiva, aluguel de cadeira e guarda-sol e é ótimo para fugir da grande concentração de turistas.

  • Como chegar: Metrô Ciutadella ou Bogatell (Linha 4)
  • Ônibus: 6, 36, 41, 92 e 141.

Se você tem tempo e gosta de explorar as praias locais menos turísticas, também existem outras opções como:  Bogatell, Mar Bella, Somorrostro, Sant Sebastià e Llevant.

Cultural/ Entretenimento

Camp Nou (Estádio do FC Barcelona)

Para quem ama futebol, essa é uma parada obrigatória. Os tickets não são baratos, com valores a partir de 20 euros. Confesso que não sou fã de futebol e, por isso, este não foi um passeio tão vibrante para mim. Mas claro que é uma questão de gosto. Afinal, quem tem o mínimo de admiração pelo esporte, visitar um dos melhores times de futebol no quinto maior estádio do mundo, é como entrar em estado de êxtase.

O Camp Nou Experience inclui a entrada ao museu, ao estádio e a uma zona de multimídia. O tour pode levar cerca de 1h30.

Como chegar:

Estação Palau Reial ou  estação Les Corts (Linha3)
Estação Collblanc ou Estação Badal (Linha5)

O ônibus turístico também para bem em frente ao estádio

Quanto custa: 25 euros para adultos / 20 euros para crianças de 6 a 12 anos e acima de 70 anos/ até 5 anos a entrda é gratuita

Show de Flamenco

Não tem como ir à Espanha e não ver um show de Flamenco. Independente se você gosta ou não de dança, esse é um show sobre música, cultura espanhola e sentimentos. O som do flamenco envolve uma mistura de guitarra, violão, cajón, palmas, sapateado, castanholas e dança. Nesse espetáculo que assisti, também tinha uma mulher tocando violino que foi divino. Foi uma experiência única e relativamente barata, comparada a outros espetáculos que conferi nessa viagem.

O teatro Palacio del Flamenco, onde assisti ao show, não é muito grande, mas tem uma acústica boa. Tem a opção de comprar o espetáculo com ou sem jantar, porém todos ganham um drink que pode ser sangria, cerveja ou outras bebidas não alcoólicas

O show dura 1 hora mas, para embalar o público na cultura flamenca, antes de tudo começar é possível assistir uma pequena introdução com a história do flamenco e uma aulinha de 20 minutos sobre as palmas ritmadas e sapateado.

Simplesmente incrível esse show !!!!

Como chegar: Metrô Diagonal + 5 min andando

Endereço: Carrer de Balmes, 139

Quanto custa: 35 euros sem jantar

Site Oficial

À Distância

Montserrat

Não muito distante da cidade de Barcelona (1 hora de transporte público) podemos encontrar as montanhas de Montserrat. Eu comprei o ingresso pela internet, que incluiu transporte, ticket e almoço. Mas, mas ao chegar no ponto de troca do ingresso, fomos informadas que o transporte incluído, no caso, era passagem de trem e metrô.

Montserrat não é só conhecida pela paisagem deslumbrante, mas também pelo seu Mosteiro do Monte Serrado. A espiritualidade do local está associada a uma imagem que encontraram de Maria no anos 880. Para os amantes de esporte, também existem pequenas estradas para caminhada, ciclismo, escalada e outras atividades. Quando estive por lá, pude ver grupos de ciclistas e jovens vestidos propriamente para praticar algum esporte. Eu recomendaria também ir com uma roupa confortável para poder andar pelo local.

O Museu de Montserrat reúne grandes obras de arte de Picasso, Dalí, Monet, Caravaggio entre outras peças. Não parecia um lugar popular porque, mesmo com tanta gente em Montserrat, o museu estava vazio (para a nossa sorte). Infelizmente, o áudio tour não estava funcionando e conhecemos o museu por conta mesmo.

O almoço incluído no passeio pode ser feito em um dos três restaurantes do local, mas decidimos ir a algum lugar mais afastado. A uns 200m do mosteiro, escolhemos o Restaurante Mirante, que estava menos cheio e tem uma vista incrível das montanhas. A comida também é excelente, com opção de pratos frios, quentes, bebidas alcoólicas ou não e sobremesa.

Esse passeio pode ser durante metade de um dia ou um dia inteiro porque tem muitas coisas para ver e fazer. É facil chegar ao local por conta do trem e metrô, embora não seja tão acessível a cadeirantes, devido à inclinação do terreno.

Dica: Se você pretende sair da cidade de Barcelona em ônibus de excursão, procure uma empresa de passeios. Os tickets vendidos online, que eu comprei, dão direito apenas ao transporte público e eu tive que descobrir quais linhas utilizar e onde descer.

Como chegar: Ir até a estação de metrô Plaça Espanya (linha 1 vermelha ou linha 3 verde).

Quando chegar na estação, procurar a estação R5 de trêm no sentido Manresa. É bom chegar com antecedência.

De lá você pegará o trem, mas a estação final pode mudar, a depender de como você vai subir a montanha. As duas opções para chegar ao topo da Montanha de Montserrat são: Teleférico (Aeri) ou de trem funicular (cremalheira). De teleférico é mais rápido, cerca de 5 minutos, e para isso você precisa descer na estação Aeri de Montserrat. Se optar pelo funicular (trem), você terá que descer na estação Monistrol , em um trajeto de cerca de 15 minutos.

Quanto custa: Independente de escolher o trajeto final de teleférico ou trem, a tarifa é a mesma de ida e volta para ambas as opções: 20,10 euros para adultos e 15,65 euros para crianças.

O museu de Montserrat custa 7 euros para adulto.

Eu comprei o pacote “Tot Montserrat” pela internet, que custou 49,90 euros, e inclui todos os meios de transporte, o museu e o almoço. Apesar de ser um pouco mais caro, dá mais comodidade. Realmente não perdemos tempo, foi super prático.

Caso não compre o bilhete pela internet, poderá adquiri-los na estação da Plaça Espanya.

Museus

Apesar de não ter tido tempo de visitar os museus, para quem gosta há algumas boas opções como:

  • Museu Picasso
  • Fundació Joan Miró
  • UHBA- Museu d’Història de Barcelona
  • MNAC- Museu Nacional d’Art de Catalunya

Outros passeios pra quem tiver mais tempo:

  • Hospital de la Santa Creu e Sant Pau 
  • Palau de la Música Catalana
  • Parque Tibidabo
  • Jardim Botânico

Sugestão de Roteiro 

Esse foi o roteiro que fiz para quatro dias. Como disse, foi corrido! Mas valeu a pena.

1 dia: Sagrada Família , Ônibus Turístico 1-2 dias , Parque Güell e finalizar a noite em um barzinho, como o tradicional El Nacional;

2 dia: Explorar o bairro gótico, ir caminhando em direção a La Rambla, almoçar na La Boqueria, Explorar as lojinhas e artistas do La Rambla e ir na casa Battló e teleférico para Montjuïc;

3 dia: Curtir a praia de La Barceloneta, almoçar em um dos restaurantes ou barzinhos da orla da praia, ver o show de luzes da font Montjuïc às 20h e seguir direto para a visita noturna da Casa Milà (La Pedrera)

4 dia: Passar o dia em Montserrat e assistir a ir a um espetáculo de Flamenco no Palácio del Flamenco à noite.  

Meu Diário de gastos

Táxi do aeroporto até o Hostel 29 €
Pars Teatro Hostel 5 dias 200 €
Imposto obrigatório da cidade 3,75 €
Jantar Marcopolo’s 12,20 €
Café da manhã Sagrada Familia 11,50
Sagrada Família com guia e sem torre 30 €
Ônibus Hop-on Hop-off (2dias) 30 €
Almoço Brunch & Cake 8,95
Parquel Güell 8 €
El Nacional Bar 14 
Brunch Milk bar & Restaurante 14 
Chip de celular 20 
Almoço na La Boqueria 7,80
Casa Milà (La Pedrera) 35 €
Bar/ Restaurante Level 7,5
Bistrô The Benedict – Café da manhã 16,80 €
Tour de TaxiBike por Barceloneta 7 € por pessoa por 15min
Teleférico de Montjuïc 11 €
Jantar Marcopolo’s 11,80 €
Pub Crawl 15 €
Montserrat- Transporte, Ticket e almoço 50 €
Restaurante La Flauta 20 €
Show de Flamenco 35 €
Taxi do Hotel até o Aeroporto bandeira 3 50€

Total dos gastos: 648,30 euros para 4 dias e meio de viagem. Lembrando que nosso planejamento incluiu gastar menos em hotel e gastar mais em passeios. Fizemos todos os principais passeios com guia, usamos bastante táxi para nos locomover entre um passeio e outro pois queríamos aproveitar mais o tempo e comemos apenas em lugares legais.

obs: Todos os valores acima foram calculados por pessoa. Os únicos valores que foram divididos entre amigas foi o do táxi.

Dicas para não errar!!!! 

  • Assim que chegar em Barcelona, compre um chip de celular. Eu comprei o meu na loja da Vodafone e paguei 20 euros. É excelente para usar mapas, ver mais informações sobre lugares, achar restaurantes etc.
  • Cuidado com a carteira! Fomos alertadas na rua muitas vezes para carregar a bolsa à frente do corpo, manter a bolsa fechada etc.  Há um alto número de furtos.
  • Tenha uma bolsa leve e confortável para andar: durante minha estadia, nós passávamos a maior parte do dia na rua e eu só tinha uma bolsa pesada para carregar a câmera e carteira. Sem dúvida esse é um passeio que exige roupas e acessórios mais leves e confortáveis.
  • Tapas é o prato principal, mas nem todos os lugares vendem boas tapas. Em bons restaurantes, as tapas podem custar por volta de 5 euros a porção pequena. Já em lugares mais baratos, de 1 a 3 euros.
  • Os melhores horários para os passeios mais populares são no final de tarde. No verão, por exemplo, o Parque Güell fica aberto até 21h30 e você poderá evitar a multidão.
  • Compre os ingressos online com antecedência. As filas da Sagrada Familia são gigantescas e esse é um passeio que vale muito a pena.
  • É viável conhecer a cidade a pé se o roteiro for bem planejado e ainda economizar uma boa grana.
  • Barceloneta não é a única praia !!! Ela é apenas a mais turística, o que não significa que seja a melhor. Existem outras praias boas como: Nova Icària, Bogatell e Mar Bella…
  • La Boqueria é um ótimo passeio para conhecer o mercado indoor mais antigo da cidade, mas os preços são altíssimos e não tem lugar para sentar. Programe almoçar em outro lugar.
  • Não deixe para fazer compras aos domingos. Muitas lojas estarão fechadas.
  • Grandes gorjetas não são comuns. É normal o turista se sentir confuso quando deixar ou não gorjeta. Em Barcelona é ok deixar uns euros quando for comer alguma grande refeição com os amigos, porém não é esperado se você só for tomar um café na esquina.

Como planejar sua viagem

Quando ir

Devido à ótima localização geográfica, é possível curtir um clima mais quente na maior parte do ano. A temporada mais fria está entre os meses de dezembro e fevereiro, com temperaturas entre 10 °C e 12 °C. A melhor temporada para curtir praia é em agosto, onde a temperatura pode chegar a 29 °C.

Fui em setembro e ainda estava um clima ótimo para passear sem sentir calor e usando apenas roupas leves.

Quanto tempo ficar

Minha experiência foi de 4 dias inteiros, mas posso dizer que não foi o suficiente para conhecer tudo o que gostaria. No entanto, tive a oportunidade de visitar os pontos turísticos principais (abaixo listei nosso roteiro). O ideal, na minha opinião, é ficar um mínimo de 5 dias ou uma semana, pois há muitas coisas legais para fazer. 

Apesar de nossa agenda ter ficado super cheia de passeios, ainda faltaram conhecer alguns lugares como o Jardim Botânico, visitar mais obras do Gaudí, ver o show na fonte de Montjuïc, conhecer o museu de Picasso e mais alguns outros.

Onde ficar

Sem dúvida, é melhor ficar próximo às regiões mais centrais onde há fácil acesso a transporte público, atrações turísticas e vida noturna.  Esses bairros são: Praça da Catalunha, Las Ramblas e Bairro Gótico. Esses bairros, porém, podem ser um pouco mais caros.

Uma boa opção de custo-beneficio pode estar nos bairros de Montjuïc ou Plaça Espanya e Poble Sec, onde os hotéis são consideravelmente mais baratos e ainda não muito distantes do centro.

Próximo à praia, as melhores opções são: Barceloneta ou a praia de Icària.

Tudo é relativamente perto. No entanto, certifique-se de que há uma estação de metrô próxima ao seu hotel.

Visto e Documentos

Não é necessário o visto para brasileiros desde que o período da viagem não exceda 90 dias. O passaporte deve ter validade mínima de 3 meses da data de entrada no país. Além disso é importante ter:

-Passagem de volta já comprada para o Brasil;

-Seguro viagem;

-Comprovante de acomodação;

-Se for ficar na casa de algum conhecido, ter em mãos também uma carta-convite;

-Comprovação de meios de subsistência (nunca me pediram, mas muitos sites aconselham ter, se possível)

obs: nem sempre são pedidos todos estes documentos na imigração. No entanto, vale estar ciente de que podem pedir estas comprovações.

Como se deslocar

É super fácil e agradável se locomover a pé. A arquitetura é bem diferente do habitual em cidades modernas e todas as atrações turísticas estão a uma distância possível de caminhar.

A passagem de metrô custa: 2,15 euros por bilhete unitário; 10,30 euros para 10 bilhetes; 14 euros para dois dias e 20 euros para três dias. O sistema de transporte possui uma forma de tarifa integrada e, assim, dentro de 1h15 é possível usar outros meios de transporte público.

Se estiver viajando entre amigos, vale calcular se dividir uma corrida de táxi pode compensar o transporte público.

Espero que tenham gostado 🙂

Bom planejamento e boa viagem !!!