A Alemanha é hoje sinônimo de prosperidade econômica e liberdade individual. No entanto, sabemos que a história do país mostra um lado totalmente diferente. Sua capital, Berlim, traz a marca destas contradições em cada espaço e memória da cidade. Claro que não seria diferente no turismo: o viajante encontra uma cidade vibrante, desenvolvida e alegre, marcada pelos vestígios do que um dia já foi uma capital dividida.

Quando pensamos nas atrações de Berlim, lembramos rapidamente de museus e monumentos relacionados à Segunda Guerra Mundial e à Guerra Fria. De fato, estes períodos históricos moldaram a cidade de forma significativa. Basta caminhar pelas ruas para esbarrar em ruínas e símbolos da era nazista ou heranças soviéticas da Berlim Oriental — muitas vezes mantidos propositalmente para que nada seja esquecido.

É claro que as experiências em Berlim não se resumem a isso: há pontos turísticos para todos os gostos. Desde palácios, museus, memoriais, monumentos, igrejas, parques e bunkers, todos os momentos históricos deixaram marcas a serem reconhecidas.

Reuni sugestões do que fazer em Berlim, incluindo os principais cartões-postais e os atrativos históricos da cidade. De bônus, dois passeios nos arredores da capital.

 

Os cartões-postais de Berlim: 8 atrações

Reichstag

O prédio do parlamento alemão foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial e reconstruído com as características originais, porém, sem a cúpula, que foi substituída por uma versão moderna envidraçada. O projeto do renomado arquiteto Norman Foster criou essa estrutura de vidro sobre o plenário, que tem em seu interior um caminho em espiral que leva até o topo.

Esta parte e o terraço são abertos para visitação, onde estão disponíveis fotos e documentos que contam a história do parlamento, além de proporcionar uma boa vista da cidade. A visita é gratuita, mas deve ser agendada com antecedência pelo site.

 

  • Endereço: Brunnenstraße 105
  • Quanto custa: grátis
  • Reserva deve ser feita antecipadamente pelo site Bundestag

 

Portão de Brandemburgo e Unter den Linden

Inaugurado em 1791, o Portão de Brandemburgo marca a antiga entrada da cidade, da época em que Berlim ainda era pequena e cercada por muros – antes do Muro da Guerra Fria. O monumento fica localizado no início da avenida Unter den Linden, uma das mais famosas da cidade. Uma caminhada pela via faz você passar por diversos pontos turísticos de Berlim, como a Nova Casa da Guarda, a Bebelplatz, o Memorial da queima de livros, a Ópera de Berlim, a Universidade Humboldt e a Catedral Católica de Santa Edwiges.

 

Ilha dos Museus

A Ilha dos Museus é um complexo declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O conjunto compreende cinco museus: o Museu Antigo, o Museu Novo, a Antiga Galeria Nacional, o Museu Bode e o Museu de Pérgamo, o mais visitado da cidade. O acervo deles abriga uma coleção variada, desde objetos da antiguidade ocidental e oriental até pinturas e esculturas. Se a ideia é conhecer todos os cinco espaços, a dica é adquirir o Museum Pass Berlin que dá direito a entrada nesses e outros 30 museus.

 

Alexanderplatz e Torre de TV

Na famosa Alexanderplatz, considerada o centro de Berlim, você encontra comércios, cafés e muita movimentação. Ali também está a Torre de Televisão de Berlim (Fernsehturm), o edifício mais alto da Alemanha, construído em 1969 como símbolo do poder comunista. Do topo se tem uma das melhores vistas da cidade, seja do mirante ou do restaurante giratório.

  • Endereço: Panorama­straße 1A
  • Quanto custa: € 15.50
  • Site oficial

 

Gendarmenmarkt

Localizada a poucas quadras da avenida Unter den Linden, esta praça é um conjunto de edificações e monumentos: a Konzerthaus (Casa de Concertos), a Französischer Dom (Catedral Francesa), a Deutscher Dom (Catedral Alemã) e a estátua do poeta Friedrich Schiller.

 

Tiergarten

O segundo maior parque da cidade é um convite para se perder entre os caminhos que cortam a área verde e descobrir tudo que o que seus 210 hectares têm a oferecer. Além de um espaço arborizado, ali estão diversas atrações de Berlim, como a Coluna da Vitória, o Memorial de Guerra Soviético e o Palácio Bellevue, a residência oficial do presidente da Alemanha.

 

   

 

Charlottenburg Palace

O palácio foi construído em 1699 para ser a residência de verão de Sophie Charlotte, rainha da Prússia. Apesar da destruição ocasionada pelos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, a edificação e os jardins foram restaurados segundo o estilo barroco original. A visita aos jardins é gratuita.

  • Endereço: Spandauer Damm 10
  • Quanto custa: de €3 a €17
  • Site oficial

Tempelhofer Feld

Um gigantesco aeroporto desativado foi transformado em parque, onde aos finais de semana os berlinenses se encontram para relaxar, curtir o sol, fazer churrasco e praticar esportes. Construído em 1920, o aeroporto foi de extrema importância ao abastecer a isolada Berlim Ocidental. No entanto, com a queda das operações decide-se pelo fechamento das instalações em 2008. No local, acontecem muitos eventos ao longo do ano, além de contar com um Biergarten (jardim das cervejas, em alemão) e aluguel de bicicletas e outros equipamentos esportivos.

 

Atrações relacionadas à Segunda Guerra Mundial e à Guerra Fria

 

East Side Gallery

Como o nome em inglês indica, esta é uma galeria a céu aberto no lado leste da cidade, onde a maior extensão preservada do muro recebeu diversas intervenções de arte urbana. É uma das mais famosas atrações de Berlim.

  • Endereço: Mühlenstraße 3-100
  • Quanto custa: grátis

Checkpoint Charlie

Este ponto turístico de Berlim não poderia passar despercebido: um posto militar no meio do centro comercial da cidade, exatamente onde ficava a divisa entre Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental durante a Guerra Fria. Comandado pelos Estados Unidos, era o ponto de controle mais movimentado na época.

Hoje, uma reprodução da cabine original foi colocada no local e dois guardas caracterizados de soldados americano e soviéticos interagem com os turistas. É possível incluir no seu passaporte os carimbos de visto usados naquele período.

Ao lado, o Mauermuseum reúne um pequeno e interessante acervo que conta a história das tentativas de fugas da Alemanha Oriental.

  • Endereço: Friedrichstraße 43-45
  • Quanto custa: grátis | museu €14,50

 

Gedächtniskirche

Localizada na praça Breitscheidplatz, é também conhecida como “igreja quebrada”, pois foi severamente danificada durante um bombardeio na Segunda Guerra Mundial. A construção não foi restaurada ou demolida justamente para ser um lembrete da destruição gerada pelo conflito. Ao seu lado, está uma edificação moderna, criando um contraste entre as diferentes condições arquitetônicas.

  • Endereço: Breitscheidplatz
  • Quanto custa: grátis

Topografia do Terror

Este museu está localizado no terreno onde ficava a sede da Gestapo, a polícia secreta nazista. Durante a Guerra Fria, o Muro de Berlim passava por ali. Um trecho dele foi conservado e faz parte da exposição externa do local. A área interna, por sua vez, reúne documentos, áudios e fotografias que explicam o funcionamento do nazismo em detalhes.

  • Endereço: Niederkirchnerstraße 8
  • Quanto custa: grátis

Memorial do Holocausto

Ao lado do Portão de Brandemburgo, o Memorial aos Judeus Mortos da Europa chama a atenção por seus imponentes 2.711 blocos de concreto cinza. No entanto, o memorial não se resume a isso. No subsolo, um espaço relata, a partir de documentos e da biografia de pessoas e famílias que foram vítimas do holocausto, a perseguição e o extermínio dos judeus.

  • Endereço: Cora-Berliner-Straße 1
  • Quanto custa: grátis

 

Berliner Unterwelten

Este bunker aberto à visitação é uma das experiências mais diferentes em Berlim. Instalado em uma estação de metrô, está conservado com as características da época em que era usado como abrigo para os moradores da região durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial. São 4 tipos diferentes de tours; os ingressos são vendidos apenas no local e esgotam rapidamente. A dica é chegar com uma hora de antecedência.

  • Endereço: Brunnenstraße 105
  • Quanto custa: tours €12-15
  • Site oficial


Mauerpark

Este parque não fica no centro de Berlim, mas vale o deslocamento, principalmente aos domingos. Nesse dia, acontece uma feira imperdível, com produtos locais, antiguidades e comida de rua. Na mesma rua, por onde passava o muro, fica o Gedenkstätte Berliner Mauer, outro memorial a ser visitado. Uma exposição ao ar livre e um centro de visitantes ajudam a contar a história da construção do Muro de Berlim e a vida em torno dele.

  • Endereço: Brunnenstraße 105
  • Quanto custa: grátis

 

Bate-volta de Berlim: 2 passeios de um dia nos arredores da capital

Boas experiências em Berlim é o que não falta, mas quem organiza uma estadia mais longa na cidade pode considerar fazer um bate e volta a alguns locais das redondezas. Uma viagem em trem urbano de menos de uma hora ao norte ou sudoeste de Berlim é o suficiente para chegar ao Campo de Concentração de Sachsenhausen e a Potsdam, respectivamente. Duas opções bastante diferentes entre si.

Campo de Concentração de Sachsenhausen

A visita não é fácil, mas é indispensável para quem se interessa pela história da Segunda Guerra Mundial e quer entender melhor aquele período. Este campo de concentração foi construído antes mesmo da guerra começar, ficando ativo pelos nazistas de 1936 a 1945. No entanto, o espaço seguiu sendo utilizado pelos soviéticos até 1950.

Ao chegar no memorial, você encontra um centro de visitantes para começar a visita com as informações básicas sobre o campo e uma contextualização histórica. Em seguida, uma breve caminhada leva ao prédio da Torre A, onde está o portão de entrada com a clássica frase nazista: arbeit macht frei (o trabalho liberta, em alemão).

Adentrando, estão os barracões remanescentes, alguns mantidos como na época outros transformados em museus onde estão expostos objetos dos prisioneiros; e os espaços mais impactantes: o centro de doenças patológicas, o muro de fuzilamento, a câmara de gás (praticamente destruída) e o crematório (com estrutura conservada). Para chegar a partir da estação de trem, você pode escolher entre caminhar 20 minutos ou pegar um ônibus. A entrada é gratuita, mas indicamos adquirir o áudio guia por 3€.

  • Endereço: Straße der Nationen 22, Oranienburg
  • Quanto custa: grátis

 

Potsdam

Conhecida por ser residência dos reis da Prússia (uma das regiões alemãs antes da unificação do país, em 1871), a cidade oferece um conjunto de parques e palácios, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. O principal ponto turístico é o Parque Sanssouci, onde fica o palácio de mesmo nome e diversos outros jardins e edificações deslumbrantes, mas o centro da cidade também é charmoso e com boas opções de restaurantes e lojas. Se o tempo e a sua disposição estiverem propícios, alugue uma bicicleta na estação de trem e pegue um mapa no centro do turista para desbravar a cidade com mais autonomia.

  • Endereço: Zur Historischen Mühle 1, Potsdam
  • Quanto custa: grátis