Copenhague é um destino instigante. Apesar de refletir seus mais de oito séculos de história, a cidade não é definida pelo seu passado, muito pelo contrário: é símbolo de modernidade, inovação urbana e desenvolvimento sustentável.

Seu tamanho relativamente pequeno e seus atrativos centrais convidam o turista a explorar a cidade. A atmosfera descontraída, com diversos bares e restaurantes, a população jovem e a grande variedade de atividades são um estímulo para desacelerar e aproveitar cada momento de lazer.

A seguir, listei o que fazer em Copenhague e todos os principais atrativos que o turista deve conhecer em sua primeira visita à capital dinamarquesa. Lembrando que muitos desses locais tem entrada gratuita para os portadores do Copenhagen Card.

Para outras informações práticas e dicas de como organizar sua viagem para Copenhague, confira esse artigo. 

 

Tivoli

Construído em 1843 como uma combinação de parque de diversão e amplos jardins, o Tivoli é o segundo parque temático mais antigo do mundo (O primeiro também está na Dinamarca e chama Dyrehaven Bakken)

Para cada estação do ano, há uma decoração e calendário de eventos específicos. Ou seja, cada ida ao parque é uma experiência inédita. Na primavera, são exibidos mares de arranjos de flores, enquanto o verão é marcado por shows musicais e mesas de restaurantes ao ar livre. No outono, a decoração de Halloween é imperdível e o inverno é tomado pelas luzes e feiras de Natal, com comidas típicas da data e o tradicional vinho quente (Gløgg).

Neste parque, você não irá encontrar atrativos grandiosos estilo Disney (embora Walt Disney tenha se inspirado no Tivoli para criar o seu centro de entretenimento), mas sim, um parque old school, com uma montanha russa de 1914, carrossel, pedalinho, teatro e também outros entretenimentos modernos como uso de óculos para simular realidade virtual para as montanhas russas.

Para jantar sem gastar muito,  Paafuglens Bistro traz comidas típicas dinamarquesas, enquanto o luxuoso Nimb oferece alta gastronomia e atendimento personalizado. 

Os arredores do parque são ótimos para quem busca se hospedar com praticidade e comodidade em Copenhague. Leia este artigo sobre os melhores hotéis e hostels selecionados por bairro.

A arquitetura de inspiração mourisca do Nimb Hotel, no Parque Tivoli

  • Endereço: Vesterbrogade 3, 1630.
  • Como chegar: várias linhas de ônibus param nas redondezas do parque. A estação central (Hovedbanegården) está a 5 minutos de caminhada.
  • Quanto custa: Adultos: 110 dkk e crianças de 3 a 7 anos: 50dkk – Para acessar os brinquedos você terá que adquirir um bilhete individual ou um pacote que inclui todas as atrações.
  • Período de funcionamento: das 11h às 23h durante a semana e das 11 às 24h às sextas e sábados. Confira as datas de funcionamento para cada temporada no site oficial

 

Nyhavn

Cartão postal de Copenhague, Nyhavn era originalmente um movimentado porto comercial. Escavado por soldados suecos a partir de 1670, tinha como propósito permitir o acesso dos barcos mercantes à praça Kongens Nytorv. Hoje, as fachadas coloridas dos edifícios recentemente restaurados faz desta singular área histórica um dos lugares mais alegres da cidade.

Há diversos restaurantes, cafés e sorveterias na beira do canal e, por isso, é uma ótima parada depois de um dia de passeio ou entre uma atração e outra. Além dos turistas, muitos locais aproveitam os dias ensolarados pra tomar uma cerveja próximo à àgua e conferir a movimentação de pessoas que passam diariamente por ali.

Atenção aos barcos estacionados às margens do canal: alguns sequer navegam mais e, por isso, hoje abrigam restaurantes, museus e até teatros.

Faça uma parada na sorveteria Rajissimo para provar aquele que é considerado um dos melhores sorvetes da cidade (valor de 40 à 58dkk).

O que fazer em Copenhague: ver as casas coloridas do canal de Nyhavn

  • Endereço: Nyhavn 17, 1051 
  • Como chegar:
    • Linha de Metrô Kongens Nytorv
    • Ônibus partindo da estação central: 1A, 26 ou 66. Descer no ponto Nyhavnsbroen

 

Passeio de barco pelos canais

Concebidos há centenas de anos para facilitar a comercialização e o planejamento da cidade, os canais de Copenhagen hoje são rotas para os populares passeios de barco. Este passeio, além de mostrar a cidade por uma perspectiva diferente, inclui um guia que narra a história e os segredos da capital escandinava.

O passeio dura uma hora e pode ser feito em qualquer época do ano ou condição climática. O teto da embarcação funciona como janelas, que podem ser abertas nos dias de sol e fechadas nos dias de chuva.

Obs: Os tours são feitos essencialmente em inglês e dinamarquês, mas há possibilidade de um terceiro idioma, dependendo do guia disponível no momento. Procure se informar no guichê de informação.

O trajeto passa por pontos importantes como: o Palácio de Christiansborg (prédio do parlamento), a antiga bolsa de valores (Børsen), Opera House, a estátua da Pequena Sereia (referente ao conto de fada de Hans Christian Andersen), Palácio de Amalienborg (residência real), entre outros. 

O que fazer em Copenhague: passeio de barco pelos canais

Para mais informações só visitar o site aqui

  • Endereço: Há dois pontos de partida: (1) Na rua Gammel Strand ou (2) bairro de Nyhavn
  • Como chegar:
    • (1) Gammel Strand: parada do Palácio Christiansborg (rua Vindebrogade), ônibus 26, 1A e 2A
    • (2)Nyhavn: metrô Kongens Nytorv ou ônibus 26, 66 e 1A até a parada Nyhavnsbroen.
  • Quanto custa: 80 dkk o ticket normal, entre 5 e 15 anos pagam apenas 40 dkk.
  • Quanto tempo dura: 1 hora de passeio.  Na alta temporada (abril a setembro), a saída dos barcos acontecem entre 10 e 30 minutos. Na baixa temporada (outubro a março) os intervalos são entre 20 e 45 minutos.

 

Estátua da Pequena Sereia

Den lille havfrue, como é chamada em dinamarquês, é um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade, localizada à beira-mar, a aproximadamente 2km do centro da cidade e 1km de Amelienborg.

Inspirada no famoso conto de Hans Christian Andersen, a estátua foi comissionada pelo magnata e colecionador de arte Carl Jacobsen (qualquer semelhança com a cerveja Carlsberg não é mera coincidência) ao escultor Edvard Eriksen.

Embora a escultura, construída em 1913, seja inspirada na bailarina Ellen Price, que interpretou a sereia em uma representação da história, foi a mulher do escultor quem posou de modelo.

A figura exposta é apenas uma réplica da original, a qual se encontra sob posse da família Jacobsen. Feita de bronze, tem 1,25m e 175kg.

Muitas pessoas podem se decepcionar com o seu pequeno tamanho e a grande quantidade de turistas disputando espaço por fotos, mas de fato o legal é a história e o seu  significado.

Alguns atos de vandalismo marcam a história da estátua da sereia: ela já perdeu a cabeça, os braços e levou muitos banhos de tinta, mas sempre volta a ser restaurada e apreciada pelo público

DICA: uma das melhores formas de ver a pequena estátua é através do passeio de barco (canal tour). 

O que fazer em Copenhague: tirar foto da icônica estátua da Pequena Sereia

  • Endereço: Langelinie, 2100
  • Como chegar:
    • Caminhada saindo do centro (Nyhavn) leva em torno de 20 minutos (2km)
    • O ônibus que para mais próximo é o 26
    • Obs: Esse ponto turístico está incluído no roteiro do Hop On Hop Off e do Canal Tour
  • Quanto custa: gratuito
  • Periodo de visitação: o ano todo

 

Palácio de Amalienborg 

Amalienborg é um complexo de quatro edifícios idênticos, um dos quais serve de residência para a rainha da Dinamarca, Margrethe II, durante os meses de inverno. As quatro mansões formam um espaço octogonal, uma praça em cujo centro se encontra uma estátua de Frederik V, rei que fundou Amalienborg.  

Um dos melhores horários para visita, apesar de movimentado, é as 12h, quando acontece a cerimônia da troca da guarda. Os soldados saem do Castelo de Rosenborg às 11h30, marcham pelo centro da cidade até chegar a Residência Real. A troca acontece todos os dias do ano, porém só há participação da banda musical quando a rainha encontra-se na residência.

Ao fundo de Amalienborg está a Igreja de Mármore e, na direção oposta, um jardim, duas fontes e a vista para a Casa de Ópera.

O que fazer em Copenhague: conferir a troca de guarda no Amalienborg

kongernessamling.dk

  • Endereço:Amalienborg, 1257 
  • Como chegar: Metrô mais próximo: Kongens Nytorv
    • Ônibus: 1A e 20E (parada: Bredgade ou Store Kongensgade)
    • 26 (parada: Dronningens Tværgade)
    • 350S (parada: Kongens Nytorv)
  • Quanto custa: para visitar o museu, adultos 95 dkk e gratuito para até 17 anos

 

Igreja de Mármore

A menos de cinco minutos de caminhada de Amalienborg, a Marmorkirken, a Igreja de Mármore, também merece uma visita. O templo começou a ser construído em 1749 pelo rei Frederik 5 – motivo pelo qual também é conhecido como Frederiks Kirken -, porém a obra foi interrompida e, por falta de verbas, demorou 150 anos para ser finalizada.

Hoje, é uma igreja imponente, com vista para o mar, o que faz valer uma visita ao seu interior e, especialmente, a subida até a cúpula. Confira os horários de funcionamento no site pois pode mudar de acordo com a temporada.

O que fazer em Copenhague: ver o por do sol às margens do rio na Igreja de Mármore

  • Como chegar: Frederiksgade 4, 1265 København
  • Período de visitação: de segunda a quinta e aos sábados das 10h às 17h; sexta e domingo das 12h às 17h
  • Entrada gratuita (a visita à cúpula é paga: 35 dkk para adultos)

 

Palácio de Christiansborg

É o palácio onde está a sede do Parlamento Dinamarquês. Originalmente foi construído para acomodar a família real e o parlamento, em 1740. No entanto, ao longo dos anos, grandes incêndios devastaram a estrutura do edifício, que passou por três grandes restaurações. Hoje, 179 membros do Parlamento trabalham no edifício, incluindo um representante da Groenlândia e Ilhas Faroe.

É um prédio muito bonito e tem várias partes para serem conhecidas: a sala de recepção real, teatro, salão de festas, ruínas, igreja e o estábulo com os cavalos da rainha. Um dos destaques da visita são as 11 tapeçarias da rainha, um presente concedido a monarca em seu 50º aniversário por empresários dinamarqueses.

É possível visitar a torre do edifício, de onde se tem uma bela vista do centro de Copenhague.

  • Endereço: Prins Jørgens Gård 1, 1218 København
  • Como chegar: ônibus 1A, 2A, 26, 40, 66, 350S. Descer no ponto de mesmo nome parada Christiansborg
  • Metrô mais próximo: Kongens Nytorv st. com mais dez minutos de caminhada
  • Trem: Estação central (Københavns Hovedbanegård) ou Estação de Nørreport
  • Quanto custa: 150 dkk o bilhete que inclui a entrada em todas as partes de Christiansborg. Até 18 anos, a entrada é gratuita
    • Gratuito com o Copenhagen Card
  • Período de funcionamento: Não abre às segundas-feiras. No verão está aberto das 9h às 17h, e no inverno, das 10h às 17h.

 

Strøget 

A Strøget é a maior rua acessível somente por pedestres de toda a Europa, com mais de um quilômetro de extensão. Ela é referência para Copenhague como La Rambla é para Barcelona. Por isso, em algum momento da sua estadia, você acabará passando por aqui.

É um ótimo lugar para passear e assistir aos dinamarqueses e turistas que passeiam pelo centro. Também é ideal para compras: os tipos de loja vão desde lojas de departamento populares, como H&M e Zara, até marcas de luxo, como Louis Vuitton, Gucci e Mulberry.

Pra quem quer dar uma olhada no design dinamarquês, algumas lojas legais são: Illum Bolighus, Georg Jensen, Royal Copenhagen, HAY e Muuto.

Dica: Um lugar bacana para almoçar é dentro da loja de departamento Illum. No último andar (rooftop) você encontra excelentes restaurantes como o Rossopomodoro para comida italiana, o MAIO para alta gastronomia, PALÆO para comida saudável e o Original Coffe, um café com varanda para vista da Strøget e Christiansborg. 

O que fazer em Copenhague: atravessar a maior rua para pedestres da Europa

Fotógrafo Kim Wyon, para VisitDenmark

 

Castelo de Rosenborg

Rosenborg é o único castelo que fica no centro da cidade e é cercado por um amplo jardim, conhecido como Kongens Have – o jardim do rei.  Este é um lugar popular entre dinamarqueses para aproveitar os dias de sol espalhados pelo gramado, curtindo um encontro entre amigos e fazendo piquenique. 

O castelo é uma obra de 1600, iniciado pelo rei Christian IV, um dos mais importantes reis da história da Dinamarca (por ser visionário e ter iniciado grandes obras na cidade). Em 1838, o castelo virou um museu que exibe as jóias da coroa, uma coleção de tapeçaria e mobílias da época que foram adquiridas de diversas partes do mundo. Uma das peças mais importantes do museu é a coroa de Christian IV, feita com 970 pedras preciosas.

Na rua Gothersgade, em frente ao parque, por volta das 11h30/ 11h45, a guarda real passa desfilando em direção a Amelienborg. 

Como chegar: está entre as duas principais estações centrais Kongen Nytorv e Nørreport.

Quanto custa: A entrada ao parque é gratuíta, o castelo custa 110dkk e menores de 17 não pagam, assim como os que possuem o Copenhagen card

O que fazer em Copenhague: conhecer os jardins do rei no castelo de Rosenborg

Torre Redonda

Próximo à rua Strøget, está a Torre Redonda, um dos mais antigos observatórios da Europa, datado de 1962.

Apesar de não ser uma torre muito alta (34m),  o caminho espiral até o topo tem 209m. De lá do alto, se tem uma vista incrível da cidade. A torre teve sua importância no século 17 por ter proporcionado grandes avanços astronômicos para a época.

O que fazer em Copenhague: conferir a vista da cidade a partir da Torre Redonda

  • Como chegar: a estação de trem mais próxima é a de Nørreport
  • Quanto custa: gratuito com o Copenhagen Card, 25 dkk para adultos e 5 dkk para quem tem entre 5 e 15 anos
  • Horário de funcionamento no site oficial

Christiania

Em 1971, próximo ao centro de Copenhague, no bairro de Christianshavn, um grupo de pessoas se instalou em uma antiga área militar para protestar contra a política pós-segunda guerra mundial.

Com o passar dos anos, a pequena comunidade hippie foi crescendo e criando suas próprias leis e regimentos, que incluíam construir uma sociedade sustentável fora dos padrões capitalistas. Hoje, muitos curiosos visitam o bairro a fim de testemunhar como é essa relação da Dinamarca, um país organizado e desenvolvido, com uma comunidade alternativa.

Para privacidade dos moradores, é proibido tirar fotos ao adentrar Christiania.

O que fazer em Copenhague: explorar a comunidade alternativa de Christiania

Fotógrafo Kim Wyon, para VisitDenmark.

 

Visit Carlsberg – Fábrica de cerveja

Conhecer um país é experimentar também o que aquele povo consome. Bom, os dinamarqueses são apaixonados pela cerveja nacional Carlsberg. E pra entender o porquê dessa paixão, nada como visitar a fábrica que fica a 20 minutos do centro de Copenhague.

Este passeio não envolve somente cerveja, mas também a história de uma das famílias mais influentes da Dinamarca, arte e, o meu favorito, a maior coleção de cervejas do mundo, com mais de 20 mil garrafas fechadas.

No pátio da fábrica há uma réplica da pequena sereia e um bar que fica aberto às sextas-feiras

Dica: próximo à fábrica da Carlsberg, há três outros pontos de interesse: Parque Søndermarken, Parque de Frederiksberg e o  Zoológico de Copenhague.

O que fazer em Copenhague: tomar uma gelada na fábrica da Carlsberg

Visit Carlsberg

  • Como chegar:
    • Existem ônibus gratuitos da própria Carlsberg que sai do centro da cidade até a fábrica a cada 1 hora, mas só funciona das 11h às 17h.
    • De trêm a estação mais próxima é a Carlsberg Station
    • De ônibus circular: Número 26, descer na parada Kammasvej
  • Quanto custa: Grátis com o CopenhagenCard. Maiores de 18 anos pagam 100 dkk e, para quem tem entre 6 e 17 anos, o valor é de 70dkk
    • Degustação de cerveja é paga a parte: 75 dkk (permitida somente para maiores de 18 anos)
  • Periodo de visitação: De maio a setembro das 10h às 20h. De outubro a abril, das 10h às 17h.
  • Obs: Não há visitação nos dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.

 

Gostou da seleção dos passeios mais procurados em Copenhague? Compartilhe nos comentários a atração que mais gostou.