Situado na extremidade oeste da península escandinava, o território da Noruega é todo entrecortado por fiordes, essas incríveis entradas de mar entre montanhas rochosas. A capital, Oslo, está situada às margens de uma formação como essa, demonstrando a íntima ligação do país com as águas. Boa parte de suas atrações está de alguma maneira relacionada a essa condição geográfica, seja pela beleza dos cenários à beira do fiorde, seja pela profusão de museus marítimos.

A maior cidade da Noruega, com pouco mais de 600 mil habitantes, é também lar de construções de importância histórica, assim como de símbolos da arquitetura moderna. Aqui está um irreverente parque de esculturas, um museu dedicado a um esporte diferente (pelo menos para brasileiros) e um bairro hipster de encher os olhos.

Oslo, normalmente vista apenas como porta de entrada para as atrações naturais da Noruega, pode render ótimos dias de passeio. E, dado os méritos do país, como de mais alto IDH do mundo e segundo país mais feliz do mundo, corre risco é de você desejar vir morar aqui. Não vou enganá-lo: prepare o bolso. Para um simples viajante brasileiro, Oslo pode ser uma cidade muito cara.

Deixando custos de lado, melhor focar no que interessa – as dicas sobre o que fazer em Oslo!

 

O que fazer em Oslo – Guia por bairro 

 

 

 

1. Oslo Sentrum

Como em toda cidade que se preze, é no centro que estão os prédios mais importantes, tanto em termos históricos quanto políticos. O Centro de Oslo fica nas imediações mais próximas da área portuária e da estação central de trem. Muito provavelmente, será o seu ponto de partida para explorar a capital e o local para onde retornará ao final do dia, uma vez que o bairro reúne a principal oferta de hospedagem, ou sempre que estiver em busca do melhor do comércio local.
  

Foto de @elenarcisi, via Instagram.

1.1 Karl Johans Gate

Chegando na área central de Oslo, seu caminho logo o levará até a Karl Johans Gate, principal rua de pedestres.

A via, que começa na estação central de trem e termina em frente aos jardins do Palácio Real, possui pouco mais de 1km de extensão. Nesse pequeno trecho ou em suas imediações, estão importantes atrações da cidade, bem como dúzias de estabelecimentos comerciais.

Passeando por essa rua você vai encontrar a Oslo Domkirke, a Catedral de Oslo, o Stortinget, o Parlamento norueguês, e o Nationaltheatret, o Teatro Nacional da Noruega. Nas proximidades, a Nasjonalgalleriet, a Galeria Nacional, e o Historisk Museum, o Museu Histórico.

No inverno, a praça entre o Parlamento e o Teatro Nacional se transforma em um rinque de patinação no gelo!

 

 

 

 

Palácio Real de Oslo

Foto via Visitoslo.no – Preset Mundo Mio

1.2 Royal Palace

Talvez você não saiba, mas a Noruega também é uma monarquia parlamentarista. Ainda que o Rei Harald V e a Rainha Sonja não sejam exatamente conhecidos em terras brasileiras, eles também têm uma imponente construção como lar. O Royal Palace, datado do final do século XIX, de estilo neoclássico, é o símbolo máximo da soberania no país.

Assim como em outros palácios reais mundo afora, aqui também é possível avistar a troca de guarda. A diferença é que não há qualquer disputa para se aproximar de grades – simplesmente porque elas não existem. Na movimentada Karl Johans Gate, no centro de uma bem cuidada área verde, o Royal Palace está acessível a todos. A visita interna ocorre apenas nos meses de verão e dura cerca de 1h.

  • Endereço: Karl Johans Gate
  • Como chegar: estação Nationaltheatret (trem e ônibus)
  • Quanto custa: tour guiado 135 kr | crianças, estudantes e idosos 105 kr
  • Horário de funcionamento: todos os dias, entre junho – agosto, tour em inglês 12h, 14h, 14h20 e 16h

 

 

1.3 Akershus Fortress

Faz mais de 700 anos que a Fortaleza de Akershus cumpre a função de proteger Oslo de possíveis invasores. Dentre as construções cercadas por seus muros, é o castelo, datado do século XVII, a mais importante. Ao longo do tempo, já desempenhou diferentes funções, de residência oficial do monarca a prisão. Hoje funciona como mausoléu da família real norueguesa e continua a ter finalidade militar.

O acesso  aos jardins da fortaleza é livre, já a visita ao castelo está suspensa para manutenção. Dos muros da fortaleza se tem uma bonita vista do fiorde, do centro de Oslo e do bairro de Akker Brygge. Nas dependências da fortaleza localizam-se dois museus: The Norwegian Resistance Museum e The Norwegian Armed Forces Museum, ambos dedicados a temas militares e bélicos.

  • Como chegar: estação Kontraskjæret (tram)
  • Quanto custa: grátis
  • Horário de funcionamento: todos os dias, 8h-21h

 

Foto via Getyourguide.com – Preset Mundo Mio

1.4 Passeio de barco pelo fiorde de Oslo

Se o cenário da cidade é fortemente marcado pelo fiorde de Oslo, nada melhor do que um passeio de barco para avistá-lo de outro ângulo.

Diferentes empresas operam rotas pelas águas, no entanto, poucas funcionam durante o ano todo. O passeio da Fjord Tours, realizado nas quatro estações, sai do Píer 3 (atrás da Prefeitura) e, ao longo de 2h, passa por diversas ilhotas na baía.

  • Como chegar: estação Rådhuset (ônibus), estação Kontraskjæret (tram)
  • Quanto custa: 339 kr | desconto de 10% com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: o ano inteiro, horário e frequência variam conforme estação.

 

 

 

 

 

 


Planejando uma viagem para os Países Nórdicos?

Receba roteiros, dicas e ofertas na sua caixa de entrada!



Eu gostaria de viajar para…







 

2. Bygdøy

À oeste do centro está Bygdøy, uma península altamente residencial que, no verão, se torna ponto de encontro de muitos moradores em função da Paradisbukta, uma espécie de praia em pleno fiorde de Oslo! Aos turistas que visitam a cidade em qualquer outra época do ano, interessa saber que Bygdøy é também conhecida como a península dos museus.  

Aqui estão cinco instituições de importância significativa, praticamente todas relacionadas de alguma maneira à história marítima da Noruega, e o Holocaust Center, um museu e centro de estudos sobre o genocídio de judeus. Dedique ao menos um dia inteiro a Bygdøy caso tenha interesse em visitar todas ou pelo menos a maioria dessas atrações.

  • Como chegar: de tram e ônibus, ao longo de todo ano; de barco, entre abril e outubro.

 

2.1 The Viking Ship Museum

É nesse museu que estão os barcos vikings mais bem preservados do mundo! O marketing utilizado é tentador, e a visita de fato não desaponta. O local é simples, apenas uma casa de madeira, mas no seu interior encontram-se artefatos da Era Viking. Logo na entrada, um vídeo curtinho, com pouco mais de 5 minutos de duração, ajuda a explicar o contexto histórico geral.

O mais famoso dos barcos é o Oseberg, construído em 820, (re)descoberto por arqueólogos numa escavação em 1903, e restaurado com 90% das peças originais ao longo de 21 anos. Caso você ainda não tenha se dado conta… esse é um barco de quase 1200 anos! Junto desse, outras duas embarcações compõem a tríade master do museu: Gokstad e Tune.

  • Endereço: Huk Aveny 35
  • Quanto custa: 100 kr | estudante ou idoso 80 kr | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: aberto diariamente, maio – setembro 9h-18h, outubro – abril 10h-16h

 

2.2 Fram Museum

Os noruegueses já exploraram os extremos do planeta – do Ártico ao Antártico. Prova viva dessa proeza é a exposição deste museu. O Fram, embarcação que dá nome ao museu, é considerado o barco de madeira mais resistente do mundo! Os visitantes podem adentrá-lo e vivenciar na pele como seria viajar num barco dessa magnitude.

A exposição no Fram Museum é mais tecnológica que a de outros museus de Bygdøy, contribuindo para tornar a experiência mais atrativa. Um túnel leva ao Gjøa, outro barco disponível para visitação. Dúzias de painéis explicativos, atividades lúdicas para crianças, salinha de cinema com exibição de filmes sobre o assunto e simulador polar para experimentar as sensações das expedições enriquecem a visita.

Foto via Frammuseum.no – Preset Mundo Mio

  • Endereço: Bygdøynesveien 36
  • Quanto custa: 120 kr | idosos 90 kr | crianças e estudantes 50 kr | desconto para ingressos combinados com Kon-Tiki e NMM | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias, entre 10h-17h, havendo pequenas variações de acordo com a época do ano.

 

2.3 Norwegian Museum of Cultural History

O quanto você conhece da cultura, da história e dos hábitos dos noruegueses? Provavelmente pouco. A visita ao Museu Norueguês de História Cultural é uma boa oportunidade para se inteirar um pouquinho sobre o assunto. O museu a céu aberto reúne 160 construções típicas de todas as regiões da Noruega e de diferentes épocas – do século XVI aos dias atuais.

Cenário da cidade museu de Oslo

Foto via Folkemuseum.no – Preset Mundo Mio

  • Endereço: Museumsveien 10
  • Quanto custa: 130 kr  | estudantes e idoso 100 kr | crianças 40 kr | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias; maio – setembro 10h-18h, setembro – maio 11h-15h nos dias de semana e 11h-16h nos finais de semana

 

Thor Heyerdahl sentado

Foto via kon-tiki.no

2.4 Kon-Tiki Museum

Em 1947, o explorador norueguês Thor Heyerdahl liderou uma expedição marítima entre o Peru e a Polinésia. Kon-Tiki, nome da balsa de madeira pelo qual a jornada ficou conhecida, cruzou 7000 Km e durou 101 dias.

Um livro, um documentário (premiado no Oscar de 1950) e um museu (esse aqui!) contam essa incrível história. Enriquecedor para quem já conhecia o feito de Heyerdahl e de sua equipe.

  • Endereço: Bygdøynesveien 36
  • Quanto custa: 120 kr | idosos 90 kr | crianças e estudantes 50 kr | desconto para ingressos combinados com Fran Museum e NMM | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias, entre 10h-17h, havendo pequenas variações de acordo com a época do ano

 

 

 

2.5 Norwegian Maritime Museum (NMM)

Esse é mais um museu que trata sobre a importância das explorações marítimas para a Noruega. Centro de pesquisa arqueológica e espaço de exibições permanentes e temporárias, expõe barcos, objetos e pinturas relacionadas ao tema. Com janelões de vidro de frente para o fiorde, esse é o prédio mais bonito do complexo (Fran, Kon-Tiki e NMM), mas o menos atraente por seu conteúdo.

Arquitetura externa do Museu Marítimo com vista para o mar

Foto via Norsk Maritimt Museum -Preset Mundo Mio

  • Endereço: Bygdøynesveien 37
  • Quanto custa:120 kr | idosos 90 kr | crianças e estudantes 50 kr | desconto para ingressos combinados com Fran Museum e Kon-Tiki | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias, maio – setembro 10h-17h, outubro – abril 11h-16h

 

3. Bjørvika

Dezenas de cidades ao redor do mundo transformaram suas antigas zonas portuárias em novos bairros –  Oslo não é diferente. Bjørvika, antigo porto de contêineres, em pouco mais de 10 anos tornou-se  o completo oposto do que era antes. Hoje, é uma região referência em arquitetura moderna e um dos lugares mais promissores da capital norueguesa.

Em 2008 foi inaugurado a Norwegian National Opera and Ballet e, desde então, novas atrações têm surgido ao longo dos anos. Em 2015 foi a vez da Sørenga, uma piscina artificial e área de lazer construída num dos extremos da área, abastecida com as águas do fiorde. Para 2020 espera-se que esteja pronta a nova sede do Munch Museum, espaço dedicado a Edvard Munch, famoso pintor norueguês.

 

3.1 The Norwegian National Opera and Ballet

A primeira construção de Bjørvika não passa despercebida aos olhos de ninguém. O imponente e imenso bloco de mármore, que lembra o formato de um iceberg e parece propositalmente emergir da água, abriga a Norwegian National Opera and Ballet e é considerado um exemplar do que de melhor existe no design nórdico. Do seu terraço, aberto o ano todo, se pode avistar o pôr do sol no fiorde de Oslo.

No interior da construção, os ângulos formados pela composição e união dos materiais utilizados (vidro, madeira e metal) rendem belíssimas fotos. Para ter real dimensão da capacidade sonora e tecnológica do espaço, o mais indicado é assistir a algum espetáculo. Na impossibilidade de fazê-lo, considere participar do tour guiado em inglês.

Foto de Eric Berg, via Visitoslo.no – Preset Mundo Mio

  • Endereço: Kirsten Flagstads Plass 1
  • Como chegar: estação Jernbarnetorget (metrô, tram e ônibus)
  • Quanto custa: tour guiado 120 kr | crianças e estudantes 100 kr | 20% de desconto com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: tour guiado de segunda a sexta às 13h, sábado 12h, domingo 12h
  • Programação e compra de ingressos no site

 

3.2 Barcode

A tradução de barcode, em português, é literalmente “código de barras”, o que sintetiza o conceito desse conjunto de doze arranha-céus. Isso porque, construídos lado a lado, eles têm larguras e alturas diferentes, assim como as distâncias entre eles, contribuindo para formar tal impressão. O Barcode abriga escritórios, bancos e restaurantes. De longe, compõe a linha do horizonte de Oslo, de perto, é testemunho da originalidade norueguesa.

  • Como chegar: estação Jernbarnetorget (metrô, tram e ônibus)

Foto de autor desconhecido, via Reddit.com – Preset Mundo Mio

 

4. Grünerløkka

Nem só de visita a atrações essencialmente turísticas se vive! Às vezes, a melhor parte da viagem é a imersão na vida cotidiana da cidade ou uma caminhada sem rumo por uma área residencial. Em Oslo, o lugar mais indicado para vivenciar esse tipo de experiência despretensiosa é Grünerløkka, o bairro hipster da capital norueguesa.

Antigo distrito industrial, Grünerløkka se tornou o local escolhido por centenas de artistas para abrir as portas de suas galerias e de empreendedores para investir em ideias criativas. O rio Akerselva corta a área – a cidade como um todo, na verdade – de norte a sul. Um passeio de bicicleta ou uma caminhada às margens do rio já é uma forma de explorar o bairro.

Foto de Thomas Johannessen, via Visitoslo.no – Preset Mundo Mio

Adentrando Grünerløkka você vai poder comprar roupas e acessórios em brechós, tomar cafés artesanais em dúzias de cafeterias, aproveitar as horas de sol nos parques, provar comidas diferentes tanto em mercados gastronômicos (Mathallen é o nome que não se deve esquecer!) quanto em feiras de rua e, ao final do dia, experimentar vinhos ou cervejas nos bares de drinques e cervejarias.

  • Como chegar: Estação Olaf Ryes Plass (tram)

 

5. Outras áreas e atrações em Oslo

Embora boa parte das atrações imperdíveis de Oslo esteja no centro e nos bairros adjacentes, existem outros lugares um pouquinho mais afastados que merecem a visita. Dos lugares citados abaixo, o Holmenkollen é o mais distante e também o mais diferenciado, já que fica próximo a Nordmarka, uma região florestal no norte da capital.

 

Foto via Shutterstock – Preset Mundo Mio

5.1 Vigeland Sculpture Park

O termo “museu a céu aberto” pode ser bastante clichê em certos casos, mas quando se trata do Parque Vigeland, não há expressão melhor para explicá-lo.

Na imensa área verde do Parque Frogner estão espalhadas 212 estátuas feitas de bronze, granito e ferro, todas esculpidas por Gustav Vigeland, artista norueguês que dá nome ao espaço.

Algumas peças são bastante esquisitas, uma vez que representam um menino mimado, um homem chutando crianças e por aí vai… Outras são mais “tradicionais” e fazem alusão a temas como maternidade e ciclo da vida. De qualquer forma, o lugar como um todo, arborizado e bem cuidado, rende ótimas fotos.

Ao sul do parque, no local onde o artista morou, funciona o Vigeland Museum.

  • Como chegar: estação Vigelandsparken (ônibus e tram)
  • Quanto custa: grátis

 

 

Foto via Munchmuseet.no

5.2 Munch Museum

Precursor do movimento expressionista, Edvard Munch, pintor norueguês idolatrado em seu país, é mais conhecido mundo afora em função do “O Grito”, possivelmente seu mais famoso quadro.

O Museu Munch exibe apenas uma pequena parte do imenso acervo do artista, mas se sua intenção for ver de perto apenas a pintura mais conhecida, saiba que essa não está aqui, mas na Galeria Nacional.

Com o intuito de abrigar num único lugar o acervo de 28 mil peças relacionadas a Edvard Munch, um novo museu está sendo construído. A localização é mais do que privilegiada: em Bjørvika, a antiga zona portuária que segue em constante renovação. Previsto para ser inaugurado em 2020, o prédio fará jus ao design moderno que já se tornou marca registrada da região.

  • Endereço: Tøyengata 53
  • Como chegar: estação Tøyen (metrô), estação Munchmuseet (ônibus)
  • Quanto custa: 120 kr | estudantes 60 kr | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias, 10h-16h

 

 

5.2 Holmenkollen Ski Museum e Ski Jump Tower

Se no Brasil temos museus dedicados ao futebol, na Noruega iremos encontrar museus dedicados ao… esqui! O Museu Holmenkollen cobre mais de 4000 anos do esporte e apresenta um rico acervo. No entanto, é a gigantesca torre de salto de esqui, acima do museu, que impressiona; a capacidade é para até 70.000 espectadores! Do topo da torre se tem, possivelmente, a vista mais bacana de Oslo.

  • Endereço: Kongeveien 5
  • Como chegar: estação Holmenkollen (metrô)
  • Quanto custa: 140 kr | estudantes e idosos 120 kr | grátis com Oslo Pass
  • Horário de funcionamento: todos os dias, 10h-16h

 

DICAS EXTRAS

 

# Oslo Pass

Se você é o tipo de turista que gosta de visitar muitas atrações ao longo da viagem, considere comprar o Oslo Pass.  O passe da cidade dá direito a acessar 30 museus e todos os meios de transporte, além de fornecer inúmeros descontos. Apesar de caro, no final você economiza no montante total; caso fosse pagar por cada ingresso e cada passagem de ônibus ou tram separadamente, acabaria gastando mais.

O Oslo Pass pode ser comprado para 24h, 48h ou 72h e o valor varia de acordo com o tipo de ingresso – adulto, criança ou idoso. Você pode adquiri-lo na internet, nos centros de informações turísticas, em alguns museus e em lugares parceiros, como determinados hostels e restaurantes. Veja as atrações que você tem interesse em visitar, confira se estão inclusas e calcule se a compra do Oslo Pass vale a pena.

 

# Free Walking Tour em Oslo

Boa parte das atrações citadas ao longo desse post são atrações pagas – e bem pagas quando fazemos a conversão de coroa norueguesa para real brasileiro. Assim, cabe procurar por maneiras alternativas de conhecer Oslo sem gastar tanto. Toda cidade já é melhor conhecida a pé, se for acompanhado por alguém que conhece o contexto cultural e histórico então… plano perfeito!

Você já deve saber como funciona um free walking tour, certo? A caminhada é pelos lugares mais relevantes da cidade, normalmente envolvendo boa parte dos pontos turísticos. Para participar, não é preciso pagar nada antecipadamente. Ao final do passeio, espera-se que seja dada uma gorjeta de acordo com a qualidade do serviço. Não precisa ser muito pão duro, mas não precisa deixar um rim como pagamento…

Em Oslo, a Free Tour Oslo opera exatamente com essa proposta. Seus walking tours diários partem sempre da estação central de trem, às 10h, independente da previsão do tempo. Ao longo da caminhada você deve passar por vários dos lugares citados aqui no post e aprofundar seu conhecimento sobre todos eles. Lembre-se apenas que os tours gratuitos são dados exclusivamente em inglês.