Os países nórdicos, com seus altos índices de desenvolvimento humano, sua economia estável e suas cidades modernas e progressistas, têm fama de destinos caros. A Dinamarca, em especial, frequentemente aparece em listas dos lugares com os maiores custos de vida no mundo. Mas será que o turista também tem a mesma impressão? Os gastos em Copenhague são tão mais expressivos do que em capitais igualmente caras já consolidadas na preferência dos turistas, como Paris e Londres? Afinal, quanto custa viajar para a Dinamarca?

Analisando as principais despesas de uma viagem, como passagens aéreas, hospedagem, refeições e atrativos, estipulamos diferentes orçamentos, para todos os estilos (e bolsos) de viajantes — econômico, com conforto e sofisticado.

 

Moeda e Câmbio

O primeiro passo para calcular um orçamento de viagem para a Dinamarca é entender a sua moeda, com a qual você pagará por todos os bens e serviços no país. É importante saber quanto ela vale, em reais e euros, como e onde trocá-la.

 

Qual é a moeda da Dinamarca?

A moeda local é um dos fatores que encarece uma viagem aos países nórdicos: fora da zona do euro, cada um adota a sua própria moeda. Na Dinamarca, é a coroa dinamarquesa (krone, ou kroner, no plural), em circulação desde 1875.

Nas regiões autônomas da Groelândia e das Ilhas Faroe, a coroa dinamarquesa também é utilizada. Na primeira, é a única moeda em circulação; já no arquipélago, circula também uma moeda própria, a coroa feroesa, que é emitida em paridade com a coroa dinamarquesa.

O código internacional da moeda é DKK, mas os preços costumam vir assinalados com o símbolo kr. As notas são impressas em valores de 50kr, 100kr, 200kr, 500kr e 1000kr. Uma coroa é dividida em 100 unidades de øre, ou seja, são o equivalente a centavos. As moedas são de 50øre, 1kr, 2kr, 5kr, 10kr e 20kr. Em relação ao tamanho, tenha em mente que quanto menor a moeda, maior o seu valor.

Quanto custa viajar para Dinamarca: planejamento de viagem

 

Qual moeda levar para a Dinamarca?

Coroa dinamarquesa. Alguns estabelecimentos até podem aceitar o euro, porém o troco será dado na moeda local e a taxa de conversão utilizada para calcular o valor nem sempre é favorável. O melhor é sempre ter uma pequena quantia em euro para eventuais emergências e para o trânsito nos aeroportos.

 

Quanto vale o real em coroas dinamarquesas?

Um real costuma variar entre 1,70 e 1,80 coroas dinamarquesas. A maneira mais fácil de fazer contas rapidamente é arredondar esse valor para dois e usar essa referência.

No dia 25/11, as cotações correspondiam às seguintes:

  • R$ 1 = 1,72kr
  • €1 = 7,46kr
  • €1 = R$ 4,34

 

Onde fazer o câmbio?

Agora que você já sabe que a moeda a ser utilizada no país é a coroa dinamarquesa, você deve estar se perguntando se é melhor comprá-la no Brasil, lá na Europa ou diretamente na Dinamarca, ao chegar. A verdade é que a resposta para essa pergunta depende de inúmeros fatores.

Para começar, dificilmente valerá a pena levar reais para a Dinamarca. A nossa moeda é fraca e não tem um bom valor de mercado no país. Se a sua viagem for exclusivamente para terras dinamarquesas ou por seus vizinhos escandinavos, considere comprar antecipadamente as coroas no Brasil.

Para avaliar se é melhor comprar a coroa dinamarquesa na sua cidade ou se é melhor adquirir euro para trocá-los na Dinamarca ou em outro país europeu, considere o seguinte processo:

  1. Pesquise a menor cotação do euro (em reais) na sua cidade; para isso, você pode usar o site Melhor Câmbio
  2. Pesquise a menor cotação da coroa dinamarquesa (em reais) na sua cidade, com o mesmo site
  3. Divida a coroa dinamarquesa em reais pela cotação do euro em reais
  4. Pesquise no conversor de moedas do site Oanda.com a cotação internacional da coroa dinamarquesa frente ao euro

Se o valor da conversão na sua cidade for até 5% mais alta que a cotação internacional, vale a pena comprar localmente. Isso porque se você fosse comprar euro e fazer um novo câmbio na Dinamarca, você provavelmente perderia algo similar a essa taxa com a dupla conversão. Agora, se a diferença estiver muito além disso, melhor deixar para trocar no continente europeu mesmo. Principalmente em países onde a procura por coroas dinamarquesas é maior, como na Alemanha ou na Suécia, é grande a chance de encontrar uma taxa melhor.

 

Impostos, taxas e outras formas de pagamento

É sempre bom poder contar com outras formas de pagamento além do dinheiro em espécie. Lembre-se que se você for usar cartão de crédito, de débito ou travel money, você pagará o adicional de 6,38% do IOF. Caso prefira sacar dinheiro em caixa eletrônico, é cobrada uma taxa de até 50kr de serviço. Caixas eletrônicos dos bancos Dansk Bank, Jyske Bank, Nordea Bank e Angri Bank podem ser encontrados facilmente por toda a cidade, diretamente na rua.

Além disso, saiba que sobre todos os produtos e serviços na Dinamarca incide uma taxa de 25% de VAT, um imposto sobre o produto. Esse valor pode ser ressarcido para os não moradores da União Europeia. Em grandes lojas, você possível pode solicitar nota livre de imposto, como a Global Blue, por exemplo. No momento de saída do país, basta procurar o estabelecimento da Global Blue no Aeroporto de Kastrup.

 

 

Quanto custa viajar para Dinamarca: passagens aéreasQuanto custa uma passagem aérea para a Dinamarca?

A maior cidade da Dinamarca não recebe voos diretos do Brasil, mas nada que uma conexão não resolva o problema. São diversas as cias aéreas que oferecem voos diários para Copenhague, com suas respectivas conexões:

  • Swiss, em Zurique;
  • Lufthansa, em Frankfurt;
  • Tap, em Lisboa;
  • Iberia, em Madri; 
  • British Airways, em Londres;
  • Turkish Airlines, em Istambul; 
  • Air France, em Paris;
  • KLM, em Amsterdã;

Como você pode ver, a oferta de voos é grande, de modo que a melhor opção vai depender de uma combinação de preço, duração da viagem e conforto. Uma viagem saindo de São Paulo até Copenhague dura no mínimo 15 horas, incluindo o tempo de voo e conexão. Dependendo, você pode até aproveitar para fazer um stopover de um ou dois dias numa dessas capitais!

Em relação a preços, não espere encontrar passagens aéreas, ida e volta, por menos de R$ 3.300, mesmo comprando com uma boa antecedência. Essa é a média mínima, mas os valores tendem a variar entre R$3.500 e R$4.000 para quem garante a sua passagem até 90 dias antes do voo. Nossa principal sugestão para economizar é criar um alerta em sites buscadores de passagens e me monitorar a variação dos preços.

Se as passagens estiverem muito caras e você estiver disposto a um pouco de flexibilidade, considere comprar uma passagem direta para outras capitais na Europa, aproveitar dois ou três dias por lá e depois seguir para Copenhague. Milão na Itália, Madrid na Espanha e Lisboa em Portugal, por exemplo, são destinos tradicionalmente mais em conta.

Dentro do continente europeu, companhias aéreas low cost voam entre as capitais por preços bem camaradas. A Norwegian é a empresa com o maior número de voos nos países nórdicos. Um voo de Berlim para Copenhague, por exemplo, custa cerca de €30.

 


Planejando sua viagem para Dinamarca?

Receba roteiros, dicas e ofertas na sua caixa de entrada!



 

Eu gostaria de viajar para…




 

Quanto custa a hospedagem na Dinamarca?

Depois da passagem aérea, a hospedagem é o gasto mais expressivo em uma viagem. Na Dinamarca, mesmo alternativas econômicas, como os hostels, costumam ser mais caras que em outros países europeus. Hotéis de melhor padrão podem custar o equivalente a um hotel cinco estrelas em destinos mais econômicos. Porém, quando se compara os custos de se hospedar na Dinamarca com acomodação em capitais turísticas como Paris ou Londres, percebemos que os valores são bastante similares.

Quanto custa viajar para Dinamarca: hospedagem

Para poupar, a alternativa é priorizar bairros mais afastados do centro e das principais atrações, utilizando mais transporte público. Se, por um lado, isso representa uma economia de dinheiro, por outro, significa gastar mais tempo, um bem precioso quando viajamos, se locomovendo. De qualquer modo, em um país onde a cultura da bicicleta como meio de transporte é tão forte, alugar uma bike para ir de um ponto a outro é uma ótima solução — e você ainda aproveita a paisagem urbana.

Nas cidades do interior, você vai encontrar preços um pouco mais em conta do que na capital, mas como a oferta de hospedagem também é mais reduzida, a diferença não é tão significativa.

Confira na tabela a seguir algumas referências de valor para diferentes tipos de hospedagem, considerando uma média de preços de Copenhague.

Valor em coroa dinamarquesa Valor aproximado em euro
Quarto compartilhado em albergues 120kr-180kr €16-24
Quartos duplos em albergues (banheiro compartilhado) 500kr-680kr €68-90
Quarto em hostel boutique ou hotéis simples (banheiro privativo) 750kr-1130kr €100-150
Quarto em hotéis 4 estrelas 1250-1800kr €168-240
Quarto em hotéis 5 estrelas 1800-3600kr €240-485

 

 

Quanto custa comer na Dinamarca?

Comer fora em Copenhague, ou em qualquer outra cidade dinamarquesa, não é exatamente barato, principalmente se você fizer a conversão para o real de todo e qualquer preço. Pesquisar durante o planejamento da viagem e escolher previamente alguns restaurantes ajuda a se manter dentro do orçamento e faz toda a diferença na qualidade da experiência. Afinal, ninguém quer desperdiçar uma das poucas refeições da sua estadia em um restaurante que não vale a pena, não é mesmo?

Quanto custa viajar para Dinamarca: alimentação

Principalmente no horário do almoço, em dias da semana, você vai encontrar restaurantes oferecendo menus por preços entre 100kr e 140kr. Para comer à la carte, considerando um prato, bebida e sobremesa ou entrada, espere gastar de 250 a 300kr por pessoa. Agora, se você deseja descobrir as maravilhas da culinária nórdica em um restaurante renomado, pode separar pelo menos 500kr por pessoa.

Como uma cidade cosmopolita, influenciada por diferentes etnias e cultura, Copenhague oferece comidas típicas de diferentes cantos do mundo. Muitos restaurantes de imigrantes costumam ter preços mais em conta e sabores igualmente ricos. Você pode experimentar do pho vietnamita ao taco mexicano, do pad thai tailandês ao sushi japonês, do crepe francês à massa italiana, do homus árabe ao ceviche peruano.

Os melhores bairros para explorar toda essa diversidade gastronômica são Nørrebro e Vesterbro, onde é possível encontrar ofertas por até 100kr o prato.

Essa mesma internacionalidade está presente em quiosques e food trucks nos bairros centrais das cidades, onde é possível encontrar kebab/shawarma, porções de comida chinesa ou tailandesa, hambúrgueres e o onipresente hot dog dinamarquês (pølse), com picles, cebolas fritas e mostarda, por preços entre 35-55kr.

Agora, se a ideia é realmente economizar o máximo possível, além de usar e abusar da street food, você também pode comprar comida em mercados para cozinhar no seu hostel ou apartamento alugado. As redes alemãs Lidl e Aldi e a dinamarquesa Netto são as que oferecem os melhores preços, mas você pode encontrar produtos locais em estabelecimentos como Bilka e Kvickly .

Desbravar os corredores de um supermercado é uma das melhores formas de conhecer a cultura local. Para poupar ainda mais coroas dinamarquesas nessas redes, priorize os produtos da marca própria. A rede Irma oferece maior variedade de produtos orgânicos. Da mesma forma, bazares e quitandas ocasionalmente têm produtos mais frescos e, no que se refere a verduras, frutas e legumes, preços mais em conta.

A seguir, algumas referências de preços em um mercado:

  • Água (1.5L): 7kr
  • Leite (1L): 8kr
  • Dúzia de ovos: 23.4kr
  • Queijo (1kg): 76.25kr
  • Pão (500g): 18kr
  • Maçãs (1kg): 20kr
  • Laranjas (1kg): 25kr
  • Garrafa de vinho: 40 – 120kr
  • Cerveja (500ml): 15kr
  • Refrigerante 1L: 15kr

 

Quanto custa o transporte na Dinamarca?

De maneira geral, o metrô, o trem e os ônibus são mais caros do que estamos acostumados no Brasil. Porém, também tem um padrão de qualidade superior ao que conhecemos e usamos cotidianamente.

Quanto custa viajar para Dinamarca: transporte

O sistema de transporte público nas cidades se divide em zonas, e os preços variam de acordo com as zonas percorridas, o tipo de bilhete e o seu período de utilização. De modo geral, o turista necessita um bilhete até zonas mais distantes somente para ir e vir do aeroporto e para visitar atrações mais distantes.

Dependendo da localização do seu hotel, você consegue chegar à maioria dos atrativos turísticos a pé. Mas, para referência, saiba que o bilhete único do sistema de transporte custa 24kr e o aluguel de uma bicicleta, 30kr por hora.

  • Você confere aqui todas as informações sobre os diferentes meios de transporte, bilhetes disponíveis e como se locomover em Copenhague.

Em relação ao deslocamento interurbano, a melhor maneira de circular pelo país, bastante diminuto, é de trem ou de carro. Os bilhetes para viajar sobre trilhos variam de acordo com o tipo de locomotiva e de viagem: trens urbanos, trens intermunicipais, trens regionais. Por exemplo, o trajeto de Copenhague a Roskilde, de 35km a serem percorridos em 25min, custa 84kr. Você pode conferir mais detalhes e simular o valor da sua viagem no site da empresa ferroviária nacional DSB.

Para alugar um carro, considere as seguintes diárias, dependendo do tipo do carro: de 400kr a 470kr para modelos econômicos, de 580kr a 730kr para modelos intermediários e de 1140kr a 1400kr para modelos executivos. O litro da gasolina custa cerca de 11kr. Talvez o custo mais expressivo seja com estacionamento: a hora custa a partir de 38kr (mais de vinte reais!) e a diária, válida entre 6h e meia noite, pelo menos, 290kr. Como você pode imaginar, é extremamente difícil encontrar vagas para estacionar no centro de Copenhague. Por esse motivo, carros são recomendados para se deslocar fora da cidade.

 

Quanto custam os passeios na Dinamarca?

Determinar um orçamento para passeios depende muito das atividades que você pretende realizar. Em Copenhague, por exemplo, você pode tanto não gastar nada apreciando as casinhas coloridas do porto de Nyhvan, um dos principais cartões-postais do país, ou fazendo um roteiro arquitetônico, quanto pode torrar o seu dinheiro andando nos brinquedos do Parque Tivoli, fazendo um passeio de barco e visitando todos os museus.

Quanto custa viajar para Dinamarca: passeios

Mas, para ter uma ideia básica de custos, considere a entrada de cada atrativo cerca de 100kr. Alguns custam significativamente menos, como as igrejas, e outros um tanto mais, como os castelos. Se, em modo econômico, você resolver conhecer somente dois pontos turísticos em um dia, já pode separar pelo menos 200kr. Agora, se você quer mesmo conhecer tudo que tem direito, considere comprar os cartões da cidade, como o CopenhagenCard ou o Aarhus Card, que dão acesso gratuito e sem fila aos principais pontos turísticos, além do direito de usar  transporte público em todas as zonas da cidade.

 

 

No final, pode até ser uma viagem cara, mas vale cada coroa investida 😉