No momento de planejar o roteiro de viagem pela Europa, não há brasileiro que não sonhe em atravessar o continente sobre trilhos. O mais europeu de todos os meios de transporte é mesmo a locomoção indicada para se deslocar por inúmeros lugares. Só é bom se familiarizar antes do embarque, já que os trâmites de uma primeira viagem de trem na Europa para muitos é uma novidade.

Por que novidade? Bem, mesmo que você nunca tenha feito uma viagem internacional de avião, sua experiência de viagem em voo doméstico já ajuda a entender como se deve proceder. Porém, como mal existem ferrovias com finalidade de transporte de passageiros no Brasil, a experiência da viagem de trem na Europa é praticamente inédita.

Dessa forma, surgem muitas dúvidas relacionadas ao tema, das básicas às mais específicas. Se você se pergunta quando vale a pena viajar de trem e com que antecedência deve comprar a passagem, esse post é pra você. E caso já esteja mais além, se questionando sobre se compensa comprar passe de trem ou se é preciso reservar assento, você também vai encontrar informações úteis nesse post.

Para facilitar seu planejamento, esclareci as principais dúvidas relacionadas ao tema viajar de trem na Europa.

 

 

Quais são as vantagens de viajar de trem na Europa?

Antes de entrar em detalhes a respeito do assunto, cabe esclarecer a você sobre as vantagens desse meio de transporte. Para começar, viajar de trem na Europa é muito menos burocrático. Não é preciso chegar com horas de antecedência para fazer check-in. Poucos são os trechos em que é feita qualquer checagem sobre o passageiro ou em que é preciso passar por raio-X.

Não é necessário se preocupar tanto com tamanho e peso de bagagem. Você é o responsável por guardá-las e transportá-las sempre que necessário. A única regra é garantir que a mala caiba nos compartimentos adequados: as maiores devem ocupar as prateleiras destinadas a essa finalidade, normalmente na entrada dos vagões, e as menores debaixo dos assentos ou nos compartimentos acima.

Sabe aquelas horas a mais que precisam ser contabilizadas para chegar ao aeroporto? Esqueça. Quem viaja de trem na Europa não precisa se preocupar em chegar tanto tempo antes. Na maioria das vezes, basta chegar com antecedência suficiente para se informar e localizar a plataforma de embarque. Além disso, as estações costumam estar localizadas no centro, o que significa mais economia de tempo e de deslocamento.

E de bônus, você ainda pode apreciar a paisagem!

 

Quando vale a pena viajar de trem na Europa?

Diante de tantas vantagens você deve estar se perguntando: quando devo optar pelo trem? Bem, o deslocamento ferroviário é muito recomendado em viagens curtas e médias, isto é, de 1h até 4h de duração. Isso pode significar diferentes quilometragens percorridas, uma vez que existem trens comuns e trens de alta velocidade.

Quando se trata de trem noturno, depende de você entender se essa possibilidade deveria constar no “vale a pena” ou no “não vale a pena”. Em muitos trens, você pode até reservar uma cabine (prepare €€€ a mais!), mas mesmo assim é preciso estar ciente sobre a possível noite mal dormida. Se a ideia for se deslocar e economizar uma noite de hospedagem, vai fundo!

 

Quando não vale a pena viajar de trem na Europa?

O trem não é a solução mágica de todos os deslocamentos, por isso existem situações em que é melhor optar pelo avião, pelo ônibus, ou ainda, pelo carro. Se a viagem for muito longa (mais de 6h), é melhor pensar em ir de avião. Se a economia é seu lema máximo, possivelmente o ônibus sempre sairá mais em conta (ou mesmo voos com uma companhia aérea low cost). E se é autonomia que você busca acima de tudo, vá de carro.

Existem algumas regiões do continente europeu onde viajar de trem não é vantagem em virtude do alcance limitado das ferrovias, como é o caso dos países que compõem os Bálcãs. Alguns países sequer possuem uma rede de trilhos que compense pensar nesse tipo de transporte, como, por exemplo, os Bálticos. Se for viajar por Lituânia, Letônia e Estônia, o ônibus com certeza vai ser seu meio de locomoção mais recorrente.

 

Devo comprar passes de trem ou passagens avulsas?

Quem já está mais familiarizado com as possibilidades de viajar de trem na Europa sabe que existem passes de trem. Nada mais é do que uma passagem única que dá ao viajante acesso ilimitado ao transporte em um ou países e por um período pré-determinado. Parece um ótimo negócio e uma preocupação a menos, certo? Errado. Hoje esses passes pouco valem a pena.

Comprar passes de trem na Eurail ou na Rail Europe, duas das empresas mais conhecidas do setor, pode sair mais caro do que comprar as passagens avulsas. Especialmente porque os sobre os passes, às vezes, incidem pequenas taxas extras (como marcação de assento a cada trecho) que, ao final, resultam num montante maior.

Além disso, muitas vezes esses sites não apresentam as promoções oferecidas pelas principais companhias de trem na Europa (confira a seguir uma lista). Um ponto a favor é que a Eurail e a Rail Europe tem sites completamente em português, e a gente sabe o valor que a facilidade de comprar as passagens no nosso idioma.

Os passes de trem geralmente compensam se a sua intenção for usar o transporte ferroviário muitas vezes dentro de um país. Nesses casos, a companhia de trem local normalmente  oferece descontos. Caso você ainda esteja em dúvida, simule a compra do passe incluindo todas as cidades que pretende visitar e depois simule individualmente a compra desses mesmos trechos. Seguro morreu de velho!

 

Com que antecedência devo comprar as passagens?

Assim como passagens de avião, passagens de trem também costumam sofrer variações conforme a lei da oferta e da procura. E assim como em qualquer outra viagem, quem planeja com antecedência tende a economizar. Para encontrar os preços mais baixos, o indicado é comprar as passagens avulsas entre 60 e 90 dias antes da data da viagem.

Essa dica vale principalmente para trens de alta velocidade que cobrem grandes distâncias, muitas vezes entre diferentes países, como o Eurostar, entre Londres e Paris. Para trens regionais, isto é, aqueles que cobrem distâncias curtas entre cidades do mesmo país, não há essa necessidade. Como esses trechos são operados com regularidade e atendem também a população local, não costumam ter tanta oscilação de preço.

No momento de comprar a passagem, independente da antecedência, preste atenção nas opções de entrega do bilhete: envio pelos Correios, busca do ticket na estação ou impressão da versão online. Sempre que possível, opte por essa última modalidade. Você imprime o bilhete de onde estiver e evita preocupações desnecessárias.

 

Como proceder em caso de baldeação?

Você vai perceber que para chegar a certos destinos será preciso fazer baldeação, ou seja, trocar de trem na estação.

O que pode causar espanto é que, normalmente, essa troca deve ser feita em 5-10 minutos. Sem estresse! Nesses casos, é provável que o segundo trem passe na mesma plataforma do desembarque, ou pelo menos próximo.

Para não correr riscos, basta prestar atenção no horário e estar pronto para saltar no momento certo.

 

 

É necessário reservar assentos?

A resposta é aquele clássico… depende. Varia de acordo com a companhia férrea, bem como com o tipo de trem. A reserva de assento é exigência nos trens de alta velocidade da Espanha, da França e da Itália. Em outros países, é possibilidade, mas não regra. Certas rotas, especialmente as de trens regionais, permitem levar passageiros em pé. Assim, sempre que possível, reserve.

 

As principais companhias de trem da Europa

Cada país costuma ter pelo menos uma companhia de trem operando rotas domésticas e internacionais. Não precisa decorar o nome de tantas empresas logo de cara. Inicie sua busca pelo GoEuro, que compara os preços das viagens de trem, ônibus e avião. Se você optar pelo avião, será redirecionado para o site da companhia aérea, nos outros dois casos, se preferir, poderá comprar no GoEuro mesmo.

Prefere pesquisar e comprar diretamente com a companhia de trem? Tudo bem! Para facilitar a busca, segue aqui a lista dos principais sites das empresas de trem da Europa:

 

E você, já viajou de trem pela Europa? O que achou da experiência? Conta pra gente nos comentários!